segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Exibicionismo...

Rafal Olbinski


É na poesia
que desando
Sem condolências
comigo
É quando
não me abrando
e me expando
e me exponho
sem vergonha
Permeio
as coisas abjetas
viscerais
obscenas
e indiscretas

4 comentários:

Suzana Martins disse...

É na poesia que rasgo a alma e desnudo sentimentos!!!

Lindo!!!

Beijos

Mateus disse...

Na poesia tudo pode.

bjos

eraldo disse...

Isso sim é apaixonante...
Beijos no batom!

NDORETTO disse...


Obsceno é não sentir
Deite e role na poesia
[fora também; que mal tem ?]