sábado, 16 de julho de 2011

À fórceps


Urge fazer
poema
Qualquer poema
ainda
que seja este
esmigalhado
Arrancado das vísceras
Estropiado
Intra-uterino
Intestino
Sem lirismo
e sem doçura
Insensato
Semiacerbo
Intragável
poema
Extraído a força
por garras
que arranham
na mais profunda
das entranhas
Trazido esfarelado
redutível
Incomodado
Que se reinventa
ao nascer sem
rosto
Na sobrevida
de um parto
sem clemência.

22 comentários:

Marcantonio disse...

É, desconfiemos, no entanto, daqueles outros, os que vêm muito facilmente, não?
"Que se reinventa ao nascer sem rosto" me parece expressivo do trabalho que se faz em cima de qualquer poema, mesmo dos que aparentemente já nascem completos, porque nem a inspiração lhes dá um fisionomia definitiva.

Beijo.

MIRZE disse...

EBA!

Nasceu! Um poema é um poema. De parto natural, na água, ou à forceps, é seu. E este de um modo especial está lindooooooooooo!]


Beijos e saudades

Mirze

Weslley M. Almeida disse...

É a urgência do poeta...
São essas poemas - das entranhas - que viceram poesia.

tonholiveira disse...



Forç.andoE p N o T e R m E a s!

:o)

Lara Amaral disse...

Eu que o diga... Adoro sua força, Ross!

Beijo.

Nielson Alves disse...

Que doçura isso (foto marcante)

Ah que bom te ter por perto.


Beijos e ate a volta

Vinicius.C disse...

Olá!

Passando para conhecer seu blog- um prazer estar aqui!

Gostei demais e já sigo você!

Quero convida-la a conhecer meu blog.
Beijo

Eraldo Paulino disse...

ô, flor. Urge dizer que morro de saudades. Infelizmente estive meio incomunicável por questões maiores nos últimos dias.

Mas saiba que morro de saudades de batom.

Bjs lá (no batom)!

Batom e poesias disse...

Marco
..."mesmo dos que aparentemente já nascem completos, nem a inspiração lhes dá um fisionomia definitiva"...

Toda a razão do mundo, meu amigo.
bjs

Batom e poesias disse...

Mirze, minha linda.

Mais um filho para cuidar... rss
bjs

Batom e poesias disse...

É mesmo a urgência do poeta, Wesley.
Grata por vir.

bj

Batom e poesias disse...

Tonh0,
ai...

:D
bjcas

Batom e poesias disse...

Larinha, que força nada...
Puro instinto de sobrevivência.

hehehe
bjs

Batom e poesias disse...

A recíproca é verdadeira Nielson.

Até.

bj

Batom e poesias disse...

Eraldo,
Que bom que voltou! Fez muita falta.
Espero que tudo esteja bem.

bjs de batom.

Batom e poesias disse...

Vinicius, pulei você.
Grata pela visita.

bj

Mário Lopes disse...

Foram as mãos e os dedos que lhe deram forma, o que o poema distinguiu em primeiro lugar naquele campo de neve que lhe pareceu a folha de papel à luz do dia. Entre a dor do seu parto e a alegria do seu nascimento, o poeta sente a fugaz felicidade com que vai sobrevivendo.
Grito de sangue em pano branco: as tuas palavras nascem do silêncio e trazem-te à vida, carregadas que vêm de significado.
Lindo poema, pleno de força.
Beijo.

Batom e poesias disse...

"Entre a dor do seu parto e a alegria do seu nascimento, o poeta sente a fugaz felicidade com que vai sobrevivendo."

Maravilhosa compreensão, meu querido Mário.

Quantas saudades tuas.
bjs

Sonhadora disse...

Desculpe adentrar assim, mas adorei a força do que escreve e tomei a liberdade de seguir.

Deixo um beijinho
Sonhadora

anne disse...

Bom dia!
Conheci seu blog depois de visitar o miltextos do Jorge Stark e gostei muito!seus poemas são ótimos, parabéns!

Batom e poesias disse...

Sonhadora,
é uma alegria.
Seja muito bem vinda!

Bj

Batom e poesias disse...

Oi Anne
Não podia ter referência melhor.
O Jorge é muito especial.

Volte sempre.
bjs