domingo, 27 de novembro de 2011

repetindo...


Parece-me
que escrevo
continuamente
o mesmo poema
Troco palavras
alterno vírgulas
pontos e adjetivos
E vivo assim
consumindo
sempre 
a mesma pena
Altero tons
mudo cenas
mas repito 
eternamente
o mesmo ato
parindo sempre 
o mesmo feto
sem sorte
Não há arte
em ser poeta 
do mesmo
tema...

@Rossana Masiero

21 comentários:

Lourdinha Vilela disse...

E a arte também se encontra aí, na forma singular de cada poeta e de sua poesia.Poder dar às mesmas palavras um poder novo de encantamento.
Lindo Poema.Uma ótima semana prá você
Rossana.

MIRZE disse...

Claro que há! Principalmente sendo VOCÊ a poeta.

Tão lindo esse tema!

Beijos

Mirze

Eraldo Paulino disse...

Na série que passou da Chiquinha Gonzaga ela e o maestro Carlos Gomes dialogavam sobre esse aspecto contínuo da composição. Li o poema e lembrei disso.

Beijos contínuos que não parecem sempre os mesmos, embora sejam, no batom!

Celso Mendes disse...

tema e poema podem se repetir: se são bons vale a pena ler. e depois todos sabemos:

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.
(Fernando Pessoa)

eu sempre me encanto aqui. aliás, lembrei de algo que fiz há tempos e até postei recentemente no FB:

UM POEMA?

O nexo
É o foco disléxico
Deste poema sem sexo
Sem juras de amor
Sem pudor
Atordoado
Indisciplinado
Inclinado
A nada dizer

Por que fazer disso um problema?

Deixo que o próprio poema
Fale de seu dilema

De ser
Ou não ser

(Celso Mendes)

beijos, minha querida.

Desengavetados disse...

Penso que venho me repetindo tb e isso já faz algum tempo...mas o que seria de nós sem se repetir?Alivia a alma e ao mesmo tempo, provoca catarses...
então, nada melhor do que se repetir w sentir que algo está se modificando em vc.

Beijos no seu coração!
Me repeti mais uma vez no meu texto lá no meu blog rs isso é natural, ta vendo rs

Andréa de Azevedo.

byTONHO disse...



"Vale a pena se a ALMA não for de outro mundo..."


♫ Mas louco é quem me diz...♪

:o)

Luna Sanchez disse...

Há sim, Rossana.

=)

Um beijo.

Dilberto L. Rosa disse...

Certa feita brinquei sobre este tema, que gostaria de escrever sobre algo que ninguém antes escrevera, e é difícil, estamos sempre a criar do já criado, não é mesmo? E o repetir-se às vezes é bom, porque grita quem somos para aqueles que ainda estão desatentos ao nosso "estilo"... Um abraço original e metrificado para ti!

Sonhadora disse...

Minha querida

O poeta brinca com as palavras e escreve-se e descreve-se de diversas maneiras e no fim, nasce um belo poema.


Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

Wania Victoria disse...

Rossana,



Releituras de si mesmo!



Bjão, minha querida.
É sempre muito bom te ler!

Batom e poesias disse...

Grata por vir, Lourdinha.
Espero que tenha razão.

Bj

Batom e poesias disse...

Mirze, grata pela amorosidade desmedida.

Bj

Batom e poesias disse...

Eraldo, esse é um dilema de todas as artes, acho eu.

Sou feliz por tê-lo comigo.
bj

Batom e poesias disse...

"Deixo que o próprio poema
Fale de seu dilema

De ser
Ou não ser."

Isso é grande, Celso!
Grata.
Bjs

Batom e poesias disse...

Análise mais que sensata, Andréa.
Provavelmente você está certa.

Bjcas

Batom e poesias disse...

Vale a pena se a alma não é penada, Tonh0?
;D
Você é um lindo!

Batom e poesias disse...

Luna, eu acho até bom...
:)

bjs

Batom e poesias disse...

Dil,
Sempre adoro seus comentários.

bjs

Batom e poesias disse...

Obrigada, Sonhadora.

E assim seguimos nós...
Grata por vir.

bjs

Batom e poesias disse...

Wania, minha amadica,
Acho que estou escrita códigos...
rss

Beijos

Luna Sanchez disse...

Passando pra deixar um beijinho, Rossana.

=*