terça-feira, 1 de novembro de 2011

Por um fio


Ser poeta
é só um estado
de caminhar descalço
em pedregulhos
É escolher 
andar por vias tortas
e apinhadas de entulhos
pelo deleite de se condoer
É estar continuamente
quase a morrer
É dançar perto do abismo
Saltitar em precipícios
bem na beira da soleira
do despenhadeiro
É só uma condição
de  gostar de estar
por um fio
de pisar na fronteira
de viver no limiar...

31 comentários:

Wania Victoria disse...

Rossana


Estar sempre por um triz, sem sair do lugar... talvez seja esta a magia da poesia que encanta àqueles que a escrevem!



Nunca calçe os sapatos...

Bj grande!

Lara Amaral disse...

Gosto tanto do seu jeito de meta-poetizar.
Lindo, querida, é bem isso mesmo!

E a foto mascarada está belíssima! =)

Beijo.

Natália Campos disse...

Disse tudo em tão pouco. Perfeito!

Adriana Karnal disse...

Rossana,
por um triz, triste sina do poeta...

Adriana Karnal disse...

off topic: cadê o blog da Lara???

MIRZE disse...

LINDO, ROSS!

Por um triz, sim!

Bárbaro!

Beijos

Mirze

Phoenix disse...

ser poeta é viver a vida :)

beijinho **

Celso Mendes disse...

Perfeito. Buscar o limite da palavra, a emoção que vem do inconsciente, a fronteira. Lembrei de uma frase de Manoel de Barros:
"Poesia é voar fora da asa."

Beijo.

Wilson Torres Nanini disse...

Rossana,

me irmano com teus dizeres. Poeta é ora pomar, ora precipício.

Abraços!

Dilberto L. Rosa disse...

Gosto do teu poetizar e de como os versos vão se casando para o derradeiro desfecho... Estamos todos por um fio, de fato! Os Morcegos vivem à beira do derradeiro solstício...

Sobre teu comentário, teci uma pequena resposta carinhosa: depois confere! Abração!

byTONHO disse...



TRI...z Legal!

"Quando mais desfia a corda e
mais profundo for o poço, mais avanço..."

:o)

Toninhobira disse...

Lindo este estar por um fio na infinita arte de poetar,como atravessar abismos de olhos vendados.
Um abraço.

Flavio Ferrari disse...

Ser poeta é poetar
Como a Rossana
Com palavras ao ar

Luna Sanchez disse...

É viver aos calafrios.

=*

Liberdade. disse...

BOA TARDE!

BELO E ENCANTADOR!

É A PRIMEIRA VEZ QUE VOO POR AQUI,
POREM NÃO SERÁ A ULTIMA SE ASSIM PERMITIRES!


UM ABRAÇO E BOM DOMINGO

Sonhadora disse...

Minha querida

Descreveste com exactidão o ser poeta...sempre no fio da navalha...no limite entre o céu e o Inferno.

Adorei e deixo um beijinho com carinho.

Sonhadora

Mário Lopes disse...

O arquitecto é um poeta com um desejo excêntrico: fundar sonhos. O poeta é o arquitecto que desenha as suas janelas. Para não ficar dentro deles? Não. Para ser a sua sentinela.

Linda e inconfundível a tua poesia, Rossana.

PS: a vinda de Larinha foi uma alegria imensa! Beijo.

Maze Oliver disse...

Seu poema me inspira
a dizer outros dizeres...
a dançar com as palavras...
a poetizar!

Sem mais palavras, lindo!

Batom e poesias disse...

Wania, não calço. Mas você tem que me prometer que vai me ajudar nos curativos...
bj

Lara, não imagina a alegria com que te recebo. Volte logo, querida.
bj

Fico muito feliz que tenha gostado, Natália.
bj

Não sei se é sempre triste, Adriana. Mas é sempre no precipício.
Off topic: A Lara tirou umas férias da gente, mas espero que volte logo.
bj

Mirze, estamos todos, amiga.
Grata pelo carinho aqui e no outro blog.
bj

Oi Joana! Estava eu com muitas saudades.
Que bom que apareceu!
bj

Celso, é quase no limite da sanidade.
O Manoel é grande!
Bj

Wilson,é verdade.
Poetas são meio inconstantes... rss
Bj

Dilberto
Estou sempre voando junto aos teus morcegos.
Bj

Tonh0, e tem jeito de ser diferente?
Bj

Toninhobira, é exatamente essa a sensação. Atravessar abismos de olhos vendados.
Bj

Flavito, meu anjo!
Adoro teus versinhos.
Bj

Luna, isso já é outra coisa... ;)
Bj

Boa tarde, “Liberdade”
Seja bem vinda e espero que fique.
Bj

Sonhadora, fico feliz por saber que gostou, e muito grata por visitar.
Bj

Mario, realmente usamos a janela que criamos só para vislumbrar os desejos.
Imensa alegria a vinda da Larinha e a sua.
Bj

Fico feliz pelo que disse Maze. Que partilhemos muitos dizeres.
Bj

Eraldo Paulino disse...

Para mim, é sempre esperar uma ponta do batom e então invadir mais e mais.

Bjs nele!

Jorge Pimenta disse...

"pondras de pedras soltas"
(a imagem do quase morrer é perfeita)
beijinho, rossana!

Dilberto L. Rosa disse...

Ei: já há muito neste limiar, não estás? Sai logo destes pedregulhos de longa data e brinda a nós novamente com um novo limiar... Abração saudoso!

Luna Sanchez disse...

Cadê post novo, flor? Quero te ler mais.

=*

Batom e poesias disse...

Eraldo, não sei se entendi bem isso... rss

bjs

Batom e poesias disse...

Gosto muito quando aparece, Jorge.
Beijinhos também.

Dilberto, você é o cara!
Bjs

Batom e poesias disse...

Luna, logo você "mulher de fases"?
Bjs, linda!

Suelen disse...

E ser poeta é expressar o que se passa dentro da gente e conseguir ir ao encontro do que sentem as outras pessoas.
É estar dentro e fora do que se sente ao mesmo tempo.
É percorrer os caminhos da emoção sem tirar os pés do chão.
Esse blog é ótimo,muito bom gosto v tem.
Adorei passar aqui,abraço e uma ótima quarta-feira,=)

Miltextos disse...

Ando impertinente.

Dói, né?

Impertinente e descalço... dói, dói, dói...

Batom e poesias disse...

Grata, Suelen.
Seja bem vinda.
Bjs

Batom e poesias disse...

Poetinha,
calça um sapatinho...
;D

Bj

Marcia David disse...

Seu blog é lindo. Sua poesia belíssima e tocante. Identifiquei-me muito com muitas coisas por aqui. Parabéns!
http://marciadavidpoeta.blogspot.com/