terça-feira, 13 de maio de 2014

Versejos

Imagem do Google


Ando à margem
dos entremeios
e a caçar entretantos
e alguns poréns
Persigo indignações
sem grandes
expectativas
Ando ser
sem cobiça
de caçar tesouros
Quero versos
pois na poesia
eu  viscejo
e versejo
Lambo as feridas
de dentro
com indulgências
E sem sequer
abrir os olhos
eu passeio
satisfeita e imperfeita
abjeta
indiscreta
e visceralmente
exposta.

4 comentários:

Celso Mendes disse...

ainda bem que há poesia. para bem do poeta e do leitor.

excelente!

Batom e poesias disse...

Ainda bem que há poetas que gostam de nos ler...rss

Bjs

Toninho disse...

O poeta expõe suas vísceras e delas se alimenta num banquete com os versos. A tristeza, o vazio, a saudade são convidadas que lhe faz companhia nesta magia.
Não sei o teu nome mas a mim importa saber desta fome da poesia, onde nos alimentamos das aparas que caem das folhas.

Lindo amiga.
Beijo

doni seo disse...

obat kuat

pemutih badan

obat asam urat

obat pelangsing

obat hernia

obat diabetes

obat herbal

game pc

obat kuat semarang