segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

futuro


Foto: O Globo.

Na lente transparente
Olho de perto
a semente
Desenho de gente
Desígnio
Destino
O que será
desse menino?

32 comentários:

Fred Matos disse...

espero que escape à sina
de outros tantos meninos
na mesma situação:

as drogas,
o crime
a prisão.


Belo poema, Rossana.
Ótima semana.
Beijos

Adriana Karnal disse...

Rossana,
adoro poema com crítica social. Esse está perfeito, lírico e forte ao mesmo tempo.mas, fugiu um pouco ao seu padrão,não?

Mai disse...

Poema real. Forte e concreto.
Em poucas palavras você faz poema com o impossível de se poemar. Você escreve como poucos.

beijos.

Eraldo Paulino disse...

Seus poemas são uma verdadeira obra de arte. Uma das minhas poetisas predileta. Em blogs, a melhor que eu já vi. Parabéns!

Emerson Souza disse...

Gostei...bastante.
Bjus.

Batom e poesias disse...

Grata, amigo Fred.

A esperança é o lenitivo da poesia...

Ótima semana!

bjs

Batom e poesias disse...

Oi Adriana

"tenho fases como a lua"...

Mas é verdade.
No blog mostrei meu lado mais emocional que social, mas atiro pra todo lado...rss

bjs querida.

Batom e poesias disse...

Mai,
Nada pode nem dever fugir ao olhar da poesia.

É que as vezes é tão triste, que
fica doloroso demais escrever.

Bjcas no coração

Batom e poesias disse...

Eraldo
Isso foi uma "paulinisse" exagerada, mas gostei.

Grata
bjs

Batom e poesias disse...

Emerson

Gossto que goste.
Grata por vir.
bjs

Lara Amaral disse...

Sementes mal plantadas ou mal regadas.

Realidade, de tantos, mal vivida.

Sinceros versos.

Beijos.

Fred Matos disse...

Rossana,
Seu poema está no nas horas e horas e meias, espero que não se zangue.
Beijos

Batom e poesias disse...

Larinha,
Eu fiz um poema sobre isso quando tinha a sua idade.

"Sementes que o sol nunca alcançou
a chuva não regou
e a seiva do amor não alcançou"

A realidade triste é antiga...

Batom e poesias disse...

Como assim, Fred?
Fico muitíssimo honrada!!!!
E grata.
bjs

Flavio Ferrari disse...

É sempre triste
quando o futuro
tão cedo inexiste

dade amorim disse...

Rossana, você é outra boa descoberta nesse mundo virtual, onde é preciso andar com um GPS para não se perder.
Seu blog é espontâneo, sensível e os poemas falam de sua sinceridade.

Um beijo.

Isabela disse...

Adorei a poesia, parabens!breve, direta e sensível!!!

Mirse Maria disse...

Lindo poema, Rossana!

Dos meus. Ativista e direta!

Beijos

Mirse

Wania disse...

Rossana querida!

Quantas sementes por aí jogadas, numa terra propícia dariam ótimos frutos! Quanto disperdício...

A tua poesia sabe ser bonita mesmo quando é triste!

Bj carinhoso pra ti!

Amiga do Cafa ( Celamar ) disse...

Triste destino o do menino que lhe inspirou tão belo poema....
Como será o amanhã dele e de outras tantas crianças vítimas do descaso e do desamor ?

beijos

Batom e poesias disse...

Flávio
Gosto de você...
bj

Batom e poesias disse...

Dade,
Seja bem vinda e muito grata pelo comentário.
Um beijo no coração.

Batom e poesias disse...

Oi Isabela
Bom receber novos parceiros nesse blogosfera surpreendente.
Grata por vir.

bjs

Batom e poesias disse...

Mirse

Querida amiga.
É uma honra ter poemas "dos teus".
De verdade!
Gosto-te muito.
bjs

Batom e poesias disse...

Wania
Para boa colheita, o solo pode ser adubado e a semente, regada... Mas por onde começar?

Quisera saber, minha amiga.
Grata por vir.
bjs

Batom e poesias disse...

Oi Celamar.
Pois é, minha amiga.
Como será o amanhã, se não mudarmos o presente?

Beijos

Flávio Morgado disse...

Tradução perfeita da imagem!
Poema forte e bonito.
www.cadernodacapaverde.blogspot.com
Beijo!

F.M.

Mário Lopes disse...

Tudo está dentro da nossa cabeça. É lá que se encontra a explicação para os meninos de quem não se sabe o destino. Não é fora de nós. Somos todos culpados de não termos a coragem moral de sermos dignos de nós próprios. E a primeira pergunta que deveríamos fazer, seria: porque pensamos como pensamos?
Até neste desencanto fazes nascer uma flor tão singela, querida Rossana, o teu poema!
Beijo doce para ti.

Batom e poesias disse...

Grata Flávio.
Fui olhar no seu caderno e também gostei muito.

Bjs

Batom e poesias disse...

Mário,
Somos todos culpados e vítimas.
Somos todos como o menino que só quer "não sentir".

bjs

Dilberto L. Rosa disse...

Uma pergunta boa para se fazer especialmente nesa época do ano, não é mesmo? Versos soltos, porém reflexivamente interessantes! Abração!

Batom e poesias disse...

Oi Dilberto...
Reflito, mas disperso.
bjs