quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010



Contra o ócio
Não tem negócio

Para o tédio
Não tem remédio

Para a preguiça?
..............................

Não acho rima
nem solução.

Rossana Masiero

36 comentários:

BAR DO BARDO disse...

Treliça?

Mirse Maria disse...

Oi Rossana!

Ócio deve ser horrível mesmo.

A preguiça também é dose! Mas se der uma mãozinha nesse pedaço de egoísmo, acho que vai....

João Ubaldo já falou dela.

Mas você deu um show!

E é da sua poesia que gosto!

Beijos linda Ross!

Mirse

Paradox Doc disse...

Genial ! Simples assim...

Batom e poesias disse...

Henrique
Treliça rima, mas não combina.
Sem solução.
bjcas

Batom e poesias disse...

Mirse,
Como é bom ler seu cometário.
Eu tnho a sensação de que isso já foi dito antes, mas não resisti.

Você é que é linda e querida.
beij♥

Batom e poesias disse...

Que bom que apareceu doutor paradoxal.

Fico feliz!

Simples assim.

beijos

Flavio Ferrari disse...

Como não tenho preguiça
aponto a rima
não fico a encher linguiça

Simplesmente Outono disse...

Depois de muito tempo, eis-me aqui e lá também. Será que ainda lembra-se de mim? Finalmente o sistema de comentários voltou a funcionar. Espero que goste do que acabei de publicar.
Com o mesmo carinho de sempre, folhas secas deste Outono.

Anônimo disse...

Adorei, Rossana, além de se desenrolarem de forma linda os seus poemas, tem um humor lindo

muito bom, parabéns!

=)

Anônimo disse...

hahaha... Boa!

Nem eu, acho poesia, serve como meio, não como rima. E tá valendo!

Beijos, sua linda.

tonhOliveira disse...



Para a preguiça?
Nada te atiça...

Beij♥!

Eraldo Paulino disse...

Eu sou um vagabundo mesmo, daqueles que acham que trabalhar fazendo o que gosta não é trabalho, e que essa história de que o trabalho edifica o homem, é uma falácia pra convencer escravos de que estão no rumo certo.

Bjs!

Anônimo disse...

A poesia? Não enguiça.

Muito bom!!!
www.versosdecor.blogspot.com

Batom e poesias disse...

Flavito,
Agradeço demais a ajuda...rss
bjcas

Batom e poesias disse...

Oi Michele,
Claro que lembro de seu blog.
Vou passar por lá para conferir.
Grata por ter vindo.
bjs

Batom e poesias disse...

Humor lindo é tudo de bom, Geraldo.
Grata por ter voltado.
bjcas

Batom e poesias disse...

Ai, Larinha, até tem rima, mas não teria graça...rss
bjcas amiga

Batom e poesias disse...

"Atiça" é uma boa palavra TonhO. Melhor que a do Henrique que sugeriu "treliça" e do Fálvio que não encheu "linguiça" (sem trema...
Hehehe

bj♥

Batom e poesias disse...

Também acho que fazer o que gosta não é trabalho, Eraldo. É prazer.
Que bom que veio, querido.
bjs

Batom e poesias disse...

Fouad
A poesia?
As vezes enguiça...
Mas pega no tranco.

Conheci seu blog e gostei muito.
Grata pela visita.
bj

Wania disse...

Rossana

Para a preguiça?
Não ter rima ou solução é que enfeitiça!

Bem, vou fazer um chá de melissa, amanha acordo cedo para ir à missa...rsrsrs!

Bjsssssss

cristinasiqueira disse...

Oi Rossana,

Para a preguiça?

Treliça
e a luz que passa mortiça

Para o ócio?
Sócio

Com saudades e ainda devagarinho,

Cris

Estela disse...

Adorei!
Preguiça! a gente tem mesmo é que curtir devagarinho, até passar.
Bjs.

Batom e poesias disse...

Wania, na hora não achava nenhuma rima...rss
Acho que por preguiça.
Um beijo querida.

Batom e poesias disse...

CRIS!!!!
QUE ALEGRIA POR ESTAR DE VOLTA!!!

Devagar, mas conosco de novo.
É o que importa.
Muitos beijos!

Batom e poesias disse...

Não é, Estela?
Enquanto não passa, não tem solução.
Beijocas querida

Adriana Karnal disse...

rsrsrsr....que delícia de poema.A preguiça ainda nos mata!!!

mirian disse...

Humildemente sugiro:

Para a preguiça? ISSA !!!!!!

mil beijos

vanessacamposrocha disse...

Muito bom!! Gostoso de ler, dá umaaaa preguicinha boaaaaaa!

beijos

Batom e poesias disse...

Adriana, ainda mais com essa chuvinha que está por aqui...
bjcas

Batom e poesias disse...

Miriam, agradeço a sugestão.
Só não sei como encaixar no poema..rss

bjs amiga.

Batom e poesias disse...

Vanessinha linda!
Que bom que apareceu.
Tô com saudades.
bjcas

Miltextos disse...

Quando sou explícito, me desnudo.
Quando simbólico, nem eu mesmo entendo.
Quem desarranjou o altar?
São delírios noturnos, é o caos assumido, a convivência anormal (quando aceita) da hipocrisia com a verdade. São o conflito e as desditss diárias. Nascemos para agredir, não para aceitarmos as agressões. Taí, Freud me ajudará nessa.

O resumo da ópera: as carpideiras quase choraram.

Sempre quase.

Batom e poesias disse...

Menino dos Mil textos e dos mil enígmas.

Quem é o Santo do meu altar, por quem me ajoelho e destino canções
com os olhos vermelhos?

Eu viajo em seus delírios vastos e por falar em carpideiras, eu sempre choro.

bjs

Ana ® disse...

ai esse ócio criativo, o que seria da arte sem ele...rs!

Batom e poesias disse...

Oi Ana.
Mas e a preguiça?

Grata por vir.