domingo, 9 de maio de 2010

Deixa, mãe...

Claude Monet

Mãe, posso nascer de novo?
Agora eu já aprendi
como a gente tem que ser.
Você nunca me disse
como ser ser quando crescer...
Pois que agora
eu ando toda errada,
sempre pendendo prum lado,
que nunca é o lado certo.
Tenho a alma desconjuntada, mãe.
Ai, mãe: Sei que alma não tem junta!
Mas a minha é mais esquisita.
Eu faço verso, mãe...
Tem coisa mais dolorida?
Me deixa tentar de novo, mãe!
Quem sabe eu renasça
alguém mais apropriado...

26 comentários:

contagotas disse...

Rossana
Lindo seu poema, lindo de morrer! Mas não esqueça que ensinamento de mãe é sempre protector.
António Gedeão demonstra-o muito bem no seu poema "Para além da trafaria"
http://ruispranger.blogspot.com/2008/02/para-alm-da-trafaria-antnio-gedeao.html

... e já agora, não mude, perdia o encanto!

Beijos

Batom e poesias disse...

Fui conhecer o poema de Antonio Gedeão no blog do Rui.
Foi um lindo presente que me deste!

Obrigada, minha querida.
Bom domingo!
bj

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Belíssimo! Proposta indecorosa, fazê-la sofrer tudo de novo, mas belíssimo! :D

Fouad Talal disse...

lindeza Rô!

Hoje eu perguntei pra minha mãe sobre a experiência dela de ser mãe. Ela respondeu:

"Mãe é Mãe!"

Fiquei atônito. Não poderia ter dado uma resposta mais completa.

Bjos! =*

Mirze Souza disse...

Linda Ross!

Ela deve ter dito e estar super feliz da filha ser o que é e fazer até outras mães se emocionarem!

LINDO!!!!


Beijos às duas mães.


Mirze

Juan Moravagine Carneiro disse...

Realmente lindo...!
Aliás bela colagem...

Flavio Ferrari disse...

É o que diz a ciência
perfeição
só com inconsciência

Fred Matos disse...

Como sempre, um ótimo poema Rossana.
Ótima semana, menina.
Beijos

Wania disse...

Só faz bons versos que tem a Alma desconjuntada... rsrsrs!
Não nasça de novo não...assim tá ótimo!

Feliz dia das mães pra ti minha querida!
Bj grande

Batom e poesias disse...

Ai, Francisco, a proposta não era fazê-la sofrer...rss
bj

Batom e poesias disse...

Coisas que não se explicam, Fouad.
Que bom que gostou.
bjs

Batom e poesias disse...

Quem não está contente sou eu, Mirse querida.
Mas agora o que é feito, é feito.
beijos amorosos, amada.

Batom e poesias disse...

Grata Juan.
Contente por gostar.
bj

Batom e poesias disse...

Flávio, não sei se compreendi, mas gostei!
É isso que import, né?
bjs, lindo.

Batom e poesias disse...

Fred,
Honrada pelo elogio, e feliz com o "menina"...rss
beijão, meu amigo.

Batom e poesias disse...

Linda doutora!
Você sabe o que é ter alma desconjuntada também...rss

Te adoro!
bj

Lara Amaral disse...

Ofício dolorido mesmo, este.

Beijo, e espero que tenha tido um ótimo dia das mães.

Estela disse...

Lindo poema! Mas, se nascesse de novo, será que não faria tudo igual? Tudo igual e tão bonito?
Bjs.

tonhOliveira disse...



Amãenhecer de novo!

Amãenheças todo dia...

Beij♥ ROSS!

j. monge disse...

Em cada poema renasces e só por isso eu fico mais apropriado quando leio.
beijo apropriado!

Batom e poesias disse...

Larinha, agradeço o carinho.
bjs

Batom e poesias disse...

Estela, que foto mais linda!
Estava com saudades.
bj

Batom e poesias disse...

A[mãe]nhecerei, TonhO.
bj

Batom e poesias disse...

Beijos aceitos, querido poeta.
bjs João.

Amiga do Cafa ( Celamar ) disse...

Ro,
fazer versos dói mesmo. Ainda mais com a intensidade dos seus.
Belo !
Também queria nascer novamente.
Será que dá ?

Grande beijo e ótima semana

Batom e poesias disse...

A pergunta principal, Cel, é: Será que faríamos diferente?
Acho que não...rss
bjcas, linda.