sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Exercício



Tenho me apoucado
por esses tempos
Pondo-me de lado
adestrando a pequenez
Permitindo-me
vislumbrar a submissão
e tentando perfilhar
a humildade
Ando me encolhendo
não por medo
nem por cena
nem um tico
de rancor
É só anseio de me afogar
no nada
de onde tudo procede
Até o imensurável
Amor

5 comentários:

Mirian Lamy disse...

expetáculo...

byTONHO disse...



Exau...rindo-nos! ("eu.xaurir!")

:o)

Assis Freitas disse...

afoguemo-nos pois


beijo

Raul de Sá Freire Neto disse...

Dá-lhe, Fada!!!

NDORETTO disse...

Maravilhoso!!!!!!