sexta-feira, 27 de abril de 2018

Em ruínas

Imagem do Pinterest


Eu que sempre
tive humor
ao olhar
o paradoxo
bizarro que é a vida
Tenho agora
uma alma esquisita
e sem empatia
pelo corpo
que habita
Não reconheço mais
essas veredas
que sigo
e minha casa
não é nem lar
nem aconchego
É arremedo
risível de um teto
onde eu me
abrigo.

Nenhum comentário: