quinta-feira, 22 de outubro de 2009

filhinha



foto paulolima

Não importa o quanto
pense que cresceu
minha filhinha
Não me deixe perceber
Não importa o quanto
se ache independente
menininha
Mente...
Mente pra mim
Diz que precisa de colo
Seja paciente
Porque necessito assim
Ainda banhar-te devagarzinho
fazer espumas de (a)mar
que te escorram pelos dedinhos
Depois lavar-te os cabelos
passar xampu aos pouquinhos
Vendo a brincadeira te encantar
E acarinhar-te com gotas d'água
como se fosse o bebezinho
que você costumava ser
Brinca comigo anjinho
Para que eu possa deter
o tempo só um pouquinho
E possa reter-te comigo
ao menos na lembrança
Ate que eu consiga enfim
deixar você crescer...

29 comentários:

Lara Amaral disse...

Que lindeza, parece minha mãe falando!

Uma graça e um amor, o poema e vc!

Atendeu os meus pedidos e foi visitar a poetisa carente aqui, hehe. Já estou feliz novamente!

Beijinhos, Ross!

Adriana Karnal disse...

Rossana,
Que lindinho...o poema é delicado e doce...me fez voltar no tempo quando os meus eram bebÊs e tbm queria reter o tempo...mas ele nos escapa...a foto é uma graça, adoro bebÊ no banho...rs

Wania disse...

Toda mãe gostaria de travar o relógio do tempo e embalar, por muuuito tempo, os seus filhinhos!!!

...mas eles crescem feito abóboras e abandonam o ninho, mas se a semente foi bem plantada, nunca se coratarão as raízes!


Rossana, teu poema é lindo e fofinho como bundinha de nenê. A-M-E-I!!!

Bj com cheirinho de talco Johnson!

Mirse Maria disse...

Que lindo Rossana!

AH como seria bom se o tempo passasse mais devagar com os filhos. Mas parece que passa mais rápido para eles que para a gente. E quando são pequenos, ainda somos jovens, no meu caso 16 anos, e mil sonhos na cabeça. Ainda bem que parei tudo e só corri atrás do sonho depois que partiram.

Mas pelo menos temos essas recordações maravilhosas.

Lindo poema-verdade!

Beijos

Mirse

BAR DO BARDO disse...

Filhos são TUDO. E mais um pouco...

Mai disse...

Sei bem o que sentem as mães. Imagino teus olhos, Rossana, enquanto escrevias este poema. Fihos - eis o amor incondicional.

Tesouro e fortuna da vida.
Delicado, Rossana e muito bonito, teu amor, este tema e a fotografia, também.

carinho e bom final de semana.

Batom e poesias disse...

Larinha,
Mães são todas iguais e filhos também.
Sei porque sou uma e outra.
Um beijo bebê.

Batom e poesias disse...

Adriana,
Queria deter o tempo por muitas razões... rss, mas esta é a mais importante.
A foto não é fofa?
bjs

Batom e poesias disse...

Wania
A perseguidora de formiguinhas...

Cheirinho de talco de bebê é mesmo tudo de bom.
bjs

Batom e poesias disse...

Sabe Mirse, nem sei se vale a pena parar "tudo" por eles, pois que quando crescem, nem parece que foram nossos bebês, não é?

Mas é necessário passar bons princípios e dignidade. Espero estar conseguindo.

Que bom que está conosco!
beijos

Batom e poesias disse...

Henrique,
Andas tão econômico nos comentários...
Ainda assim, fico muito feliz por vir.
Um beijo, Prof.

Batom e poesias disse...

Mai,
Imaginou certinho!
Chorei enquanto escrevia, e depois quando li para ela.

Sou mesmo uma manteiga derretida... hehehe

Um beijo querida!

tonhOliveira disse...



Quantos anos tem esta moça linda?

Tenho dois "bebês" (15 e 10),
não param de crescer...

Beij♥s na "coruja"...

:)

Batom e poesias disse...

Meu "bebê" fará 12 anos amanhã, TonhO. Não é legal?

Mal me lembro de quando tinha essa idade...hehe

A coruja agradece o beijo e manda outro em retribuição.

Mário Lopes disse...

Deixei passar a meia-noite, aqui (vantagens de viver mais perto donde o sol nasce), para desejar (serei o primeiro no mundo?) parabéns à tua querida e adorável filhinha, Rossana! Se formos pelo sangue das mulheres, por esse caminho de generosidade e entrega que elas há muito trilham, linda como é terá de ser parecida com a mãe e a avó, que dela leva nome, eu bem sei, e da beleza também, por ti recebida e transmitida em outro sangue, banhada. Uma margarida de outra Margarida lhe entrego neste dia, com todo o carinho do mundo, como tu nos deixaste singelamente este poema tão belo nas nossas mãos.


Beijo carinhoso para a tua flor, para ti, para todos vós, neste dia tão especial.


P.S. O teu passou secretamente...Mas não foi esquecido.

Mariana disse...

Rossana que lindo o teu bebê.
Desejo vida longa ,saúde e mt sucesso.
Adorei teus poemas, são cheios de emoções.

Batom e poesias disse...

Muito obrigada, Mário.
Sua preocupação pelos detalhes, sua delicadeza com meus escritos e com minha vida, me comovem.
Recebo com muito gosto todo esse carinho.
bj

Batom e poesias disse...

Obrigada Mariana.
Se gostou, volte sempre.
bjs

mirian disse...

Que delicia. Tudo perfeito: suas palavras, o sentimento, a foto.

Beijos

R.Vinicius disse...

Oi.

"Brinca ela com a mão
em movimento
- conhecendo a mão da mãe,
que também é mão de mulher,
e poetisa."

Abraço.

Batom e poesias disse...

Miriam,
você sabe amiga...

Batom e poesias disse...

Mãe e mão...
Lindo comentário, Vinicius.
Um beijo

Mai disse...

E ontem foi aniversário da minha e comemoramos no domingo. Uma índia do Amazonas que eu ganhei de presente porque ela me escolhei , sabe?
Sei bem o que sentimos e lembrei de ti enquanto escrevia um texto e dedicava a ela.

beijos, Rossana, estás bem?

Boa semana para ti, amiga,
fica bem.

cristinasiqueira disse...

oi rossana,

LIndo,lindo lindo!
E eles crescem rápidinho.
E outros bebes virão e a água continuará a escorrer pelos dedinhos.
saudade do cê.Doce.

beijos,


Cris

Batom e poesias disse...

Cris
Andei passando para ler as histórias da querubim, mas você andou sumida.
Saudades também, querida.
bjs

Batom e poesias disse...

Mai,
Minha filha também é descendente de índios. Uma linda indiazinha brasileira. Sinto que pari a Pocahontas...rss

Por aqui... indo....
Beijos querida

cristinasiqueira disse...

Oi Rossana,

Sumo para me garantir.Muito trabalho mesmo.
Postei nos blogs.Passe por lá.
Adoro blogar e fico buscando tempo.Quando rola amanheço escrevendo,visitando e dai consigo por as histórias em dia e fico feliz,

Beijos,

Cris

Batom e poesias disse...

To indo Cris.
bjcas

ju rigoni disse...

Que belo! Meu coração de mãe e avó foi profundamente tocado por esse poema.

Cheguei por aqui, já nem sei por qual caminho, e fui lendo, lendo... conhecendo essa sua poesia que encanta.

Um beijo. E inté!