terça-feira, 24 de agosto de 2010

Poemicídio

Cezanne - Mount Sainte-Victoire, 1890-1894, National Gallery of Scotland, Edinburgh


Nas emboscadas que faço
Nas armadilhas que monto
Estou no encalço da inspiração
Epifania
Procuro um mote glorioso
que faça-se em mim
o poeta
Que me traga o esplêndido
e definitivo verso
Campeio as planícies
Desvendo planaltos
Esquadrinho vales
montes e escarpas
Mergulho em mares
ajoelho em altares
Estou atrás
da poesia
Não dou um pio
para não afugentá-la
nem nada...
Quero a explosão
orgástica
e suicida
Quero cometer um poema
capital.

34 comentários:

Mário Lopes disse...

Ah, a Rossana atrás do seu Monte Santa Vitória! Quantas vezes não pintou Cezanne aquela paisagem, aquele monte obsessão! E abriu as portas a Picasso e aos que vieram a seguir...Porque não hás-de tu subir ao monte mais alto e esculpires em palavras de fogo, na pedra mais antiga, o grito da vida que só os anjos ouvirão?

Como gosto destes teus poemas-confissão, inconformados, que só almejam "a explosão orgástica e suicida", para abrir as portas de um mundo novo da poesia aos que vierem a seguir...

Beijo doce, querida e determinada, Rossana.

Lara Amaral disse...

Eu também, eu também, hehe...

Adorei, amada!

Beijos.

Mirze Souza disse...

Ah minha doce amiga!

Nem percebeu que a cada poema que escreve e nos dá o prazer de ler é o poema capital?

Que a cada poema, o mote glorioso da poesia se encaixa?

Ross! Que coisa mais linda, tendo Cezzane como companhia!

Bravo!

Beijos

Mirze

contagotas disse...

Bonito demais, poeta.
Sua procura resulta em cada poema que faz. Corre atrás, com ela no bolso, saltando a cada instante, indiferente às armadilhas que prepara.
Adorei seu poema capital, senti-me esmagada perante a força das palavras e rendida perante o crescendo dramático da sua leitura.

Querida Rossana poeta, um beijo,
MariaIvone

Assis Freitas disse...

gostei disso, muito inventivo


beijo

Marcantonio disse...

Se capital vem de capo, cabeça... Então você busca um poema que suba da vida à cabeça! Não é pecado, não é pena. É vinho vital.

Beijo.

Phoenix disse...

sem dúvida que cometeste um "poema capital" :P ** (adorei a força e entoação que deste ao poema)

Lídia Borges disse...

A procura se fez verso e o verso estrofe e a estrofe poema e o poema... deleite!

Um beijo

Flávio Morgado disse...

Não há um verso tão poderoso, seria injusto com o poema que tivesse. O poema exige esse labor, e cada verso sua força equilibrada. Procuremos não tirar a poesia das coisas, já é o suficiente.
Gostei!
Beijos!

F.M.

Batom e poesias disse...

Mário, meu anjo, a obsessão de Cezanne é a mesma queme persegue.
Tão bom que entende.
Bj

Lara, você já cometeu, muitas vezes, minha linda poeta.
Bjca

Mirse, minha amiga, que bom que pense assim. Me envaidece.
Bjs

Linda Maria Ivone, muito me honra suas palavras gentis. Me fazem mais feliz! E ainda rimam...rss
Beijão

Assis, quando gosta e gosto ainda mais.
Bj

Bebamos então, Marcantonio. Um brinde à poesia, amigo.
Bj

Phoenix, Espero ser um dia "perdoada"... rss
Grata por vir.
Bj

Lidia, se tudo isso aconteceu, me fez contente. Grata poelo comentário.
Bj

Você tem razão, Flávio, mas é um bom mote para um poema... fala a verdade!
Bj

Rodrigo Braga disse...

É muito bom visitar aqui e ver sempre algo viceral, não se encontra palavras mornas nesse blog. Tudo é intenso e é por isso que vale cada visita.

Bjos!

Jorge Pimenta disse...

"Quero cometer um poema
capital"

"alvejaste-me
com uma bela perdida
no peito"
(Pedro Pirata)

:)

Anjuh disse...

Pessoas como vc naum merecem palavras...elas são coisas que vc ja tem em excesso em sua vida,precisa do aplauso,do modo tradicional de dizer que vc eh divina!
Parabens!!!

Cris de Souza disse...

A mim, atravessastes. Suspeito que conseguistes o feito...

Maravilha, Regina!

Beijos.

Simplesmente Outono disse...

Perfeito.
Procuro palavras para descrever tal contentamento e não as encontro. Prefiro não mais procurá-las.
Saudde do teu carinho em letras.

Ribeiro Pedreira disse...

o poema que perseguimos está sempre ali na frente, mas é difícil encontrá-lo.
bjs!

Batom e poesias disse...

Rodrigo, eu sou mesmo um tanto drástica... Ou dramática.?
Gosto que venha.
Bj

Jorge: Um pecado de poema...
Queria uma assim mesmo, que alvejasse o peito de quem lê.
Bj

Anjuh: Humildemente agradeço suas palavras. Volte mais vezes.
Bj

Cris, mesmo errando meu nome, adorei o comentário.
Bj

Michele, ando mesmo sumido de tudo... Prometo que vou aparecer.
Bj

Dado, querido, o danado é como um camaleão...
Bjca

nydia bonetti disse...

E cometido está. Que a busca pelo definitivo verso não cesse. É o que nos move. beijos.

Fouad Talal disse...

oras bolas tatu-bolinhas!
todos me acusam de abandono: você, o tonho, o beto (roberto lima), só a nata da blogosfera...rs

mas eu to sempre rondando por aí menina, lendo, avoando, mas as vezes não paro pra comentar!

ó segredo pequeninho:

há silêncios que cativam amizades.
tem sempre um sorriso ou um aperto no peito do lado de cá do monitor quando leio a sua poesia e a dos amigos.
Não esquece!

bjo terno!
e brigado pelo textículo na coluna "de esquerda festiva".

ft

Batom e poesias disse...

Nydia, é um grande prazer recebê-la em meu cantinho.
Bjs

Fouad!
Segredinho compreendido e guardado debaixo de sete chaves, dentro do coração...
Eu que agradeço seus espirros nutritivos.
Bj

tonhOliveira disse...



cometer
come ter
co meter
com éter

como é ter um "b°oOM!" poético?!

beij°oO!

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Rossana,
Cometeste-o, morri-me aqui...
O título mesmo já é um convite à explosão...
Paro pra não extrapolar...

Abraço de joelhos,
Pedro Ramúcio.

MOISÉS POETA disse...

...e a poesia sempre vem , na razão aguda do verso !

prazer e honra estar aqui !

Eraldo Paulino disse...

Agudo. Picante. Penetrante.

CoMETA, minha querida, COmeta...

Você pode!

Bjs no batom!

Batom e poesias disse...

Tonh0, já disseram que você é um louco, pois não? Adoro!!!
Bj

Pedro, que comentário mais bonito.
Feliz por vir.
Bj

Moisés, a honra é toda minha. Mesmo!
Bj

Eraldo, definitivamente você tem problemas... rss - Ou não!
Bjs meu lindo!

J Araújo disse...

Rosana, parabéns pelo lindo blog. Vou te seguir

bj

dade amorim disse...

É o que querem todos os poetas.
Lindo poema, Rossana.
Um beijo.

Juan Moravagine Carneiro disse...

O querer um "caos organizado"...

Belíssimo!

Esta semana estou nos Homens Hediondos

imenso abraço, e agradecido pelas visitas ao Rembrandt

beijos

Wania disse...

Rossana

Tarde, muito tarde... já foi cometido e já foste condenada ao sucesso, minha cara.

Escrever é um dos piores vícios... pecados imperdoáveis que não merecem confissão, mas o poeta é ardiloso e se autoconfessa através da poesia!


Lindo como sempre são os teus pecados poéticos!

Bj grande

Batom e poesias disse...

J.
Bem vindo e volte sempre.
Bj

Dade, é verdade querida.
Persigamos, então.
Bj

Juan, vou lá conferir. Eu é que fico feliz por vê-lo aqui.
Bj

Wania, pegou-me num momento especial esse seu lindo comentário. Escorreu uma lágrimazinha. Sou tão grata...
Bj♥

A.S. disse...

Belo o teu poema!

Mas o poema capital,
o poema de fogo
que nos imola de prazer
só pode acontecer
e ser escrito
entre um orgasmo e um grito!


BeijO´ss
AL

Kelly Soares disse...

Que tela linda de Cezanne,
e que poema danado...
me explodiu! rs
lindo, lindo
um beijo

Assis de Mello disse...

Belo poema, Rossana !! Saudade de você. Entra no Facebook. Saí do orkut.
Beijo do Chicoooo

Oswaldo disse...

Rossana, adorei a imagem de você atrás da poesia, espreitando, silenciosa para que ela não fuja... De fato, assim é a busca da inspiração. Genial!