domingo, 29 de agosto de 2010

audácia


No âmbito
no âmago
e na ambiguidade
das palavras
não demando apenas
escalas cromáticas
exíguas
Sou demente!
Dê-me uma nota
pois ainda que desafinando
eu canto
em qualquer tom.

.
Lara Amaral umideceu meus olhos em seu "Teatro da Vida"

18 comentários:

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Em.canto.ar de libertar...

A.nota cara o preço de perder-se para se encontrar...

É poeta quem poeta vive...

Hail to thee...

Belíssimo de vera!

:)

Lara Amaral disse...

Liiinda!

Queria te ver cantar... Enquanto não dá, fico com seus poemas! =)

Beijos, amada.

tonholiveira disse...



Enquanto desafinas...

No meu peito de safenado,
ELE ainda bate-bate encantado!

be:)os audaciosos!

Flavio Ferrari disse...

10

Mirze Souza disse...

Lindo, amiga ROSS!

Claro que te acompanho, em semi-tom.

Um dia hei de te ouvir cantar.

Beijos por este encanto!

Mirze

Jorge Pimenta disse...

cantas e de que forma... basta ver e sentir esta prole de ouvidos ávidos para te escutarem... o tom e a melodia não são o mais importante; é a letra, que tem palavras que não sabem desafinar (no âmbito, no âmago, na ambiguidade).
um beijinho!

Phoenix disse...

"Sou demente!" :D é assim mesmo, não te deixes levar pelas melodias que são sempre iguais***

jefhcardoso disse...

"Viver e não ter a vergonha de ser feliz."

*Entre o sonho e a realidade eu prefiro a realidade que me permita sonhar. http://jefhcardoso.blogspot.com

Batom e poesias disse...

Francisco, que bom que apareceu.
Salve-se E a quem puder...
Bj

Larinha, seu pedido é uma ordem.
"Ver" não sei, mas "ouvir" eu prometo.
Bjcas de gratidão, minha linda.

Se você disser que eu desafino, Tonh0, saiba que isso em mim provoca imensa dor... kkk
Bjs

Flávio, você é 88.888.
Bjs

Vou postar uma musiquinha, Mirse.
Que ninguém reclame depois...rss
Beijos, amiga.

Jorge, letras de canções são poemas com melodias. Agradeço comentário tão amoroso.
Te beijo.

Joana, adoro seus comentário. Acho que és "demente" ao meu lado...rss
Bj

Jefh, eu também.
Mas isso já é um outro poema, que até já está escrito.
Bj

Ribeiro Pedreira disse...

o demente não admite que é de mente. pois cante então que eu quero escutar teus desafinos, teus desatinos.
bjs!

Geraldo de Barros disse...

essa foto da quase para te ouvir ;)

beijo
G

Wania disse...

Rossana

A poesia e a foto são liiiindas!
Lembrei-me de Travessia do Milton Nascimento e Fernando Brant te vendo assim, soltando a voz...

"Solto a voz nas estradas, já não quero parar...Meu caminho é de pedras, como posso sonhar..."



Minha nota pra ti será sempre 10, concordo com o Flávio!!!! Dez na música, 10 na poesia, 10 no carinho que eu tenho pela nossa amizade!




Linda voz que vem de dentro!

Bjsssssssssssssss

Rodrigo Braga disse...

Lindo!!! Palmas para alguém que sabe que a dissonância é fundamental para ser feliz!!!

Fouad Talal disse...

"cantá seja lá como for,
se a dor for mais grande que o peito
cantá bem mais forte que a dor"

já sabia das suas cantorias através do Gê, agora eu to vendo, só falta escutá... quando é que você vai mandar o convite?

bjos ross!

Batom e poesias disse...

Dado, depois não vale tampar os ouvidos...
Bjcas

Ge, você nem imagina qual é a música. Saudade dos seus poemas.
Bj

Minha linda doutora, eu te gosto.
Bj♥

Rodrigo, há que se cantar algumas dissonancias para o mundo ficar diferente.
Bj

Fouad, eu canto porque o instante existe...
Beijo cançã♥

José Viana Filho disse...

Vc e Lara Amaral

são minhas poetas prediletas no mundo blogueiro!!

Parabens pelo belo poema!!

Mário Lopes disse...

A tua imagem diz tudo. O teu poema tudo diz. Não encontrariam as palavras melhor amiga, para de sílaba em sílaba, de nota em nota, subirem à arvore mais alta e cantarem o que lhes vai na alma.

A desafinação será o coração das palavras a bater muito depressa, como tu sabes bem, querida poeta e cantora...

Beijo.

Batom e poesias disse...

José: Muito honrada pelas palavras.
Bjs

Mário: Sempre me comove com seus comentários, querido.
Bjs