domingo, 14 de agosto de 2011

Era dia



Nem setembro
Nem dezembro
Se bem me lembro
desgosto mesmo
de agosto
Tenho dez anos de saudade
Que até já era tempo
de parar de me lograr
De fingir que ainda está
[lá em casa, quero dizer]
Atento ao portão
com o eterno
cigarro nas mãos
esperando-me chegar
Hoje
pai
era dia
e confesso
que até queria
ir ter com você
Mas essa vida anda corrida
e qualquer hora eu passo
para lhe dar um abraço
Outra hora a gente se
vê...

Hoje, 14 de agosto de 2011, dia dos pais, faz dez anos que meu pai se foi. Muitas saudades...

18 comentários:

Whesley Fagliari disse...

Querida amiga,

Não pude deixar de me comover com essa sua linda publicação.. Bela! E pra mim, reflexiva! Por que? Questiono-me sempre sobre o seguinte: Mais triste a saudade de um pai que se foi ou a saudade de um pai que não quer ser pra vc?

Saborei e agradeça cada lembrança! É dia! Celebre!

Saudades de vc, amiga! Sempre! Luz e Paz!

MIRZE disse...

LINDO!

Ross, tenho seis anos de eterna saudade. Mas seu poema, emocionou-me.

É isso, qualquer hora a gente se vê.

Beijos

Mirze

Aline disse...

lindo e comovente.
saberei lidar com isso?

parabens! poema maravilhoso.

Wania Victoria disse...

Rossana querida!


Apesar da saudade que dói por dentro, a certeza de que os laços que nos unem a eles são eternos nos faz seguir viagem até o próximo reencontro.

Que o Amor bonito que existe entre vocês possa serenar os corações dos dois!




Um abraço beeeem apertado e uma rosa cor-de-rosa pra ti!
Com carinho especial de quem sempre quer te ver muito bem,
Wania

Wania Victoria disse...

Rossana, a tua poesia me tocou tanto que emocionada, acabei me esquecendo de comentá-la: linda como tudo que vem de ti!

Bjks

byTONHO disse...



Tô com 30 anos sem ver o meu...!


Qualquer dia a gente volta a se encontrar...♪

Amor a.PAI.xonante!

:o)

Batom e poesias disse...

Meus amigos queridos, Wesley, Mirze, Aline, Wania e tonh0, muitíssimo grata pelo carinho.

Eu e meu "velho" teremos uma parceria eterna.

Bjs

mha disse...

http://mha-finaestampa.blogspot.comoLÁ QUERIDA AMIGA COMO VAI ? . NÃO SEI DO MEU , NEM ONDE FOI QUE SE PERDEU OU NÓS PERDEMOS .ME EMOCIONOU SUA MENSAGEM AO SEU .É BOM NEH? SAUDADES SÃO BOAS .MAS INFELISMENTE EU NÃO SEI ONDE ESTÁ O MEU , S AQUI OU LÁ ONDE QUER K ESTEJA .É ISSO K DÁ TER UM PAI AUSENTE . INDA BEM K NÃO FOI ESSE TEU CASO ... BJINHS AMADA SMEPRE
MARLENE

Cris de Souza disse...

quer me fazer chorar, né? como te entendo, sinto tanta falta do meu...

beijo, rou rou.

Sonhadora disse...

Minha querida

por mais tempo que passe, a saudade apenas se torna mais doce, mas continua connosco.

Deixo um beijinho
Sonhadora

Luna Sanchez disse...

Mas ele está sempre em ti, tenho certeza.

*lagriminhas aqui*

Beijos, Rossana.

Batom e poesias disse...

Marlene, Cris, Sonhadora e Luninha
Lagriminhas aqui também...

bjs

Adriana Karnal disse...

Rossana,
tbm não tenho hoje nessa data um sentimento de felicidade em si....meu pai faria aniversário hoje, mas se foi no ano passado. Quem sabedaqui há algum tempo eu consiga "sublimar" e ter na memória as lembranças boas, quem sabe a data passe a significar felicidade novamente...por enquanto é tristeza...

Dan disse...

Que belo teu blog.
Lhe seguindo. Me visite, ficarei feliz.

Bela semana. Beijo, Dan.

Batom e poesias disse...

Dri, entendo perfeitamente, querida.
Só agora consegui tocar no assunto.

bjs

Batom e poesias disse...

Oi Dan.
Bem vindo.
Visitarei seu canto sim.

bj

Mário Lopes disse...

É bom saber como regressar para onde está o nosso pai. Nós que sempre nos habituámos a vê-lo chegar todos os dias e, mais tarde, atento à nossa entrada - pelo ruído do portão - para prolongar em nós o resto da tarde no seu sorriso.
Eu sei um caminho para ir ter com ele, tocando em cada tronco de árvore junto ao rio. Como todos os rios que encontraram o seu mar, regressou à terra dos seus amores. De onde um dia partiu, serra abaixo, não foi, querida Rossana ?

Comovente poema. Tu sabes bem como regressar para onde está o teu pai.

Beijo terno.

Batom e poesias disse...

Você me conhece muito bem, Mário.
Grata pelas ternas palavras.

bjs