quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Inferno particular


Eu, pretenso poeta
rumino rimas e versos
pra engolir a vida
sem indigestão
Busco pela arte
arrancar da arte
a própria história
à essência do existir
Eu, pretenso artista
devoro ávida
a vida
Escrevendo quadros
Compondo desamores
Cantando poemas
Pintando canções
Eu, pretenso ator
grito textos decorados
Declamo e declamo
a solidão
Meu inferno pessoal
Eu
Nem bem nem mau
Artista soi-disant
jamais subestimo
qualquer forma
de expressão.



Gravado às pressas, ofereço essa canção do Gonzaguinha para as "meninas" que visitam esse meu canto, muito especialmente Lara Amaral, Mirze Souza, Wania e Maria Ivone.

24 comentários:

Lara Amaral disse...

Qualquer arte em que se mete, vc brilha!

Amei o poema e a sua gravação, que maravilha te ouvir. Voz linda, forte, vc é demais, o que falta para vc? =)

Beijo!

Wania disse...

Rossana Amadica!!!!!

Eu apenas queria que você soubesse
Que esta menina hoje é uma mulher
E que esta mulher é uma menina
Que colheu seu fruto flor do seu carinho...


Querida, me emocionei sabia???? Que coisa mais liiiiinda esta voz, esta canção, esta poesia, este Gonzaguinha que eu tanto adoro, esta menina/mulher que é minha amiga e que nos presenteia com tudo isso!
Que o fruto deste teu carinho seja tão doce quanto o mel que te reveste!


Eu apenas queria que você soubesse... que é no meu coração que você mora!


Obrigada! Obrigada!

Bj imeeeenso!

Phoenix disse...

Rossana foste tu que cantaste/escreveste esta cançao? É linda, adorei! Estou a ver q és artista tanto das palavras escritas como ditas (neste caso, talvez seja melhor cantadas :P). Dizes bem, nunca subestimes qualquer forma de expressão, porque todas elas têm sempre algo do nosso coração e da nossa alma. beijinho menina artista! **

tonhOliveira disse...



Eu apenas queria que você soubesse
que este menino ficou te ouvindo como um homem e "mocionou"!

CANTORArquite.poe.ta!

plac! plac! plac! plac!

"Canta uma do RAUL ou Roberto ou Beto Guedes ou Milton ou Lenine ou... EU!"
Ops! Agora foi o menino!

Ah! ah! ah! ah!

:)

Jorge Pimenta disse...

não sou nenhuma das meninas a quem dedicas a canção, mas não resisti a escutar. é mesmo a tua voz?! ufa, bem te podes queixar de inferno interior no que à arte diz respeito. :)
quanto ao texto, a afirmação da diversidade artística pela sua absoluta negação. haverá forma esteticamente mais convincente de fazer poesia?
um forte abraço!

Mirze Souza disse...

Ross!!!!!

Meu Deus! Estou emocionada, arrepiada! Já me belisquei e estou viva e ouvindo essa voz linda que você tem! E com tanto sentimento canta que.... é choqrei. Emocionou-me demais!

Amei, menina-mulher-doce-encanto-em-flor!

Não sei o que dizer. Mas vou no Youtube e vou adicionar aos meus favoritos.

Obrigada por fazer parte da minha vida!

Beijos

Mirze

Rodrigo Braga disse...

Um ponto marcante dos seus poemas é que não se vê fantasia, não te conheço pessoalmente, mas parece que você é o que escreve e isso é maravilho para quem lê.

Lindo!

Flavio Ferrari disse...

Essa era você cantando ? Lindíssima.
É isso que você faz para viver ? Se não é, está perdendo uma grande oportunidade ... bjs

Assis Freitas disse...

só para as "meninas", meu eu menino gostou muito. voz e poesia


beijo

Mário Lopes disse...

Espero mesmo que não tenhas deixado de cantar...Agora ficamos todos a conhecer a dimensão que essa perda assumiria. Mesmo que continuasses a deixar-nos os teus poemas de coração tecidos, ficaria este desconsolo, linda e querida cantora-poeta da vida. É o que faz nos ofereceres prendas como esta!

Beijo terno.

Zenilda Lua disse...



Você é cantiga de amor que estilhaça a rispidez dos dias sem oferta...
Menina vagalume
libélula em dia de flores.
te adoro.
"eu apenas queria que você soubesse"
fiquei arrepiosa.
bjz

Marcantonio disse...

Nossa, você é surpreendente!

A arte é uma repetição de ciclos velozes que vão do inferno ao paraíso, passando pelo purgatório do cotidiano. Humm... Ou será a vida?

Beijo, Rossana

contagotas disse...

Ross
Te adoro menina!
Fiquei tão sem jeito, surpreendida, emocionada, orgulhosa, ...
Minha amiga artista, que bom conhecer-te!

Mil beijos
MariaIvone

Geraldo de Barros disse...

enfim, descobri sua voz =)

quando tempo aguardo esse momento, mesmo passando um tempo não teve jeito, pensei que dava pra me preparar para não me derramar, mas não sem chance, depois eu volto pra arrumar a bagunça, todo derramado aqui =)

beijo
G

Eraldo Paulino disse...

Eu juro que vou pecar muito, viu?

Só me prometa que será justa e me levará mesmo ao teu inferno.

Bjs que cometem os pecados certos!

Amiga do Cafa ( Celamar ) disse...

E assim, através da arte, vamos massageando nossos infernos interiores.
Faz bem para a alma !

Grande beijo, Rossana.

Batom e poesias disse...

Toda vez que tento comentar por aqui e responder aos amigos tão queridos, uma "força superior" inutiliza os comentários individuais.
Deixo então minha gratidão geral pela força e carinho de todos.

Rossana

Wilson Torres Nanini disse...

"Eu, pretenso poeta
rumino rimas e versos
pra engolir a vida
sem indigestão"

a poeta em si disse, plena, a que veio!

Abraços!

Cris de Souza disse...

Seu inferno é um luxo! E sua voz um explendor, parece-me daquelas de conto de fadas, emocionei-me.

Beijos com louvor!

Juan Moravagine Carneiro disse...

Faço minhas as palavras da Lara...

Belíssimo como vc

abraço e agradecido pelas visitas ao Rembrandt e aos Homens Hediondos!

Paradocx disse...

Eu apenas queria que você soubesse, que fiquei com ciúmes de você dedicar esta maravilha apenas às meninas !!! Maravilhoso... chorei...de longe...

Whesley Fagliari disse...

Querida Rossana... Lindo momento em que me fizeste refletir (ainda mais) sobre as coisas dessa vida louca e linda... E, de fato, (unindo a sua resposta ao meu poema e a minha resposta ao seu poema)"não será o poeta um fingidor"? Mas, como fingidor, poeta, humano, digo que, mesmo os fingimentos mais doces me enervam... Adoro estar por aqui! Sempre!!

Lindo texto, como sempre!!! (E isso não é fingimento, certo? Rsrs!)

Bjs!

Luz e paz!

Miltextos disse...

Há canções e há momentos...
Sei que você sabe a música.
As músicas.
Enquanto isso, na máquina do tempo, o menino Gozaga (e tantos outros) se perguntam se ainda é possivel Volver a los 17...

Ribeiro Pedreira disse...

essa música é uma velha companheira minha e ela sabe disso. tua voz é doce e suavemente me comove.
bjs!