quarta-feira, 22 de setembro de 2010

esperança



Imagem do google

O inverno nem chorou
de hesitação
na hora
de ir embora
Despediu-se
cheio de luar
Enquanto
a flor(es)fera
uma “dente-de-leão”
ensolarada
aguarda
para abocanhar
a primavera..

Rossana Masiero

18 comentários:

Rodrigo Braga disse...

Lindo e fechou com chave de ouro! Adoro seu blog, sempre intenso, mesmo em um poema tão tenro quanto esse.

Lara Amaral disse...

Eu aguardo para ser leve, voar feito a flor que é pluma.

Lindo poema!

Beijo.

Marcantonio disse...

Eu vi os dentes da felina fera luzindo na boca da flor-pré-primavera. Rossana, muito bom, muito bom mesmo!

Beijo.

Ribeiro Pedreira disse...

o inverno preferiu mostrar os dentes e preparar o terreno para a primavera.
ele é sábio!!!

Dilberto L. Rosa disse...

Apesar de São Luís não vivenciar bem as estações, dada sua localização geográfica tão próxima da linha do Equador, a primavera é sempre sedutora mesmo: abocanhemo-la, pois! E seus versos o fazem isso muito bem! Abração!

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Rossana,
Na dança das estações, a primavera é meu compasso preferido...

Abraço em flor,
Pedro Ramúcio.

tonhOliveira disse...



Esperar... GRRR!

Grrrr.a.nnnnnde RRRuGido e dentada,
moça LEOA!

:)

Fernand's disse...

Aplausos.
E que seja bem recebida pelas primas e pelas veras.

Bjs meus




Gostei daqui!

Phoenix disse...

e por aqui o inverno está chegando..=( poema tao simples e tao bonito rossana **

Eduardo P.L disse...

Rossana,

obrigado pela visita e comentário no Vítima da Quinta!
Cuidado, você pode ser a próxima!!!!
srsrsr

Bjs e retorne sempre!

Eraldo Paulino disse...

Esse poema tem lembrou teu semblante... bem europeu... bem teu.... bem batom ...

E tem uma lembrança pra ti no meu espaço... passa lá e (ui) pega.

Bjs no batom!

Michele P. disse...

Báh! Mereceste o selo! Teu blog ficou um encanto com o novo layout. E o texto? Belo como sempre.

Beijo grande!

Fátima disse...

Olá Rossana,

Adorei tuas poesias!
O sentido é a viajem que me causou.

Visitando...seguindo...
Com certeza voltarei.
Beijos meu
Fátima

Zélia Guardiano disse...

Bravo, Rossana, bravo!
Que poema mais lindo!
Dente-de-leão querendo abocanhar a primavera... Que imagem ! A isto eu chamo criatividade!
Grande abraço, querida, todo entremeado de gratidão pela gentil visita que me fizeste!

Jorge Pimenta disse...

entre solstícios e equinócios, corre, liberta, a frágil flor nas crinas do vento.
cá estou, como aquele dente-de-leão, algures entre as primaveras e os outonos oculares.
um beijinho!

contagotas disse...

Aqui foi o Verão que nos deixou, ensolarado, para que o Outono nos abrace em aconchegos mornos ao entardecer. Que bom!

Beijos, Rossana
MariaIvone

Mário Lopes disse...

É assim o inverno: malquerido desde que bateu à porta, atravessa o frio prenhe da primavera, liberta-a e vai-se embora sem glória. Nunca aprenderá com as andorinhas a habitar as casas abandonadas, porque com elas se cruzará sempre no caminho. Será esse o seu fado. A sua filha verá por um breve instante, depois de lhe dar o nome de Esperança. Mas, não o suficiente para de saber o quão bela ela será.


Linda despedida de pai e filha, a "relatada" por ti. Tu que és filha desse tempo e de verde vais vestida. Com uma flor bordada no peito.

Beijo.

Mirze Souza disse...

Linda e meiga amiga!

Sempre tem algo à espreita para abocanhar o que surge!

Grande, poeta!

Beijos

Mirze