sexta-feira, 1 de abril de 2011

Dos aprendizados

Aliette

As sobras de mim
você esconde
e não joga fora
Faz-me poeira
sob o tapete
Sujeira
que não se olha
Mas também
não se aferrolha
E sem escolhas
[instinto de sobrevivência]
esparjo minhas aparas
exalo e esvoaço
sou fuligem
Eu volito por ai
meus cavacos
sem escoras
Sou farpas
que não se cata
cacos que não se cola.
Encontrei meu jeito
de ser livre.

32 comentários:

Cris de Souza disse...

fiu, fiu...

você me pega pelo ritmo, adoro esse teu jeitinho...

beijo, minha rouxinol!

Léo Santos disse...

Grande poetisa! Decerto até mesmo tuas sobras são tudo o que há de bom.

Um abraço!

Celso Mendes disse...

Espargindo palavras e esvoaçando versos você se liberta, pelo menos no espírito.

Poema de ritmo delicioso, que se desliza sob os olhos.

beijo.

Leonardo B. disse...

[voo inteiro, ritmo continuo de voo dorido,

mas plano]

um imenso abraço,

Leonardo B.

Raquel Amarante disse...

Adorável blog!!!
Sigo, logo me inspiro..

Eraldo Paulino disse...

Poesias sobre dor são assim mesmo: marailha e pesar, tudo junto e misturado!

Bjs no batom!

PS: tem email pra você!

Wania disse...

Rossana


Sobreviver inteira a isso seria uma prisão muito triste para uma Alma inquieta...

Às vezes, temos que ficar aos pedaços para depois, nos reencontramos INTEIRA!
Aprendizados, doídos e necessários... melhor seria nascer sabendo, mas...


A foto tb é linda, muito significativa.
Bj imeeeenso, minha querida

Lara Amaral disse...

Só dá mesmo para ter essa liberdade na qual ninguém tasca.

Beijo, flor bela.

Berzé disse...

A liberdade vai se virando, dando seu jeito: consegue até brilhar.Olhe direito!
Abração!
Berzé

Heloísa disse...

Livre, leve e solta. É assim que devemos sempre nos sentir.

Domingos Barroso disse...

admirável liberdade
..

[maravilhoso poema]

Beijo carinhoso.

Batom e poesias disse...

Cris,
É uma mistura de samba, bolero e tango... rss

Bjcas, linda.

Batom e poesias disse...

Ei gaucho!
Até que enfim aparece por aqui.
Fico feliz.
Bjs

Batom e poesias disse...

Celso,
assim eu fico toda prosa...

bj grande

Batom e poesias disse...

Leonardo,
voo dorido, mas plano...

Que bom quando vem.
bj

Batom e poesias disse...

Bem vinda Raquel!
Volte sempre.
bj

Batom e poesias disse...

Eraldo
Nada que uma ventania não disperse...
:)

bjs

Batom e poesias disse...

Wania,
Você me leu tão direitinho, que penso até que já achou um pedacinho meu por aí...

Beijos, querida.

Batom e poesias disse...

Lara,
Como diz Manoel de Barros: "Liberdade caça jeito".

bjs mil, minha linda!

Batom e poesias disse...

Verdade, Berzé.
Prometo olhar melhor...

Feliz que tenha aparecido.
bj

Batom e poesias disse...

E de asas abertas, Helô!

:)

bj

Batom e poesias disse...

Domingos!
Que honra recebê-lo.
Agradeço o elogio.

Bj

Raíz disse...

MARAVILHOSO, ROSS!

A liberdade almejada e conferida num lindo e exuberante poema!

Fico feliz quando meus amigos conseguem o que não consigo.

Beijos linda amiga, poetisa, cantora .......


Beijos

Mirze

Zélia Guardiano disse...

Perfeito, minha querida Rossana!
Objetivo, direto, e com musicalidade invejável!
Adorei, amiga!
Abraço da
Zélia.

Batom e poesias disse...

Mirze, seus comentário são sempre uma delícia.

Bsijos, amiga.

Batom e poesias disse...

Zélia, você muito generosa.
Grata.

bj

Milene Souto disse...

As cinzas que fizeram de nós restituídas (ainda que por falta de opção) a nossa insubstituível liberdade... Seu poema tem leveza e ritmo deliciosos... Beijos poeta!

Batom e poesias disse...

Que bom que pensa assim, Milene.
Grata por vir e comentar.

Bjcas

Grã disse...

Tuas sobras me fogem,
entre os dedos, vertem,
tanto mais eles se apertem
menos me resta, de ti
recolho amiúde, de seu verso,
suas idéias, tênue projeto
meias verdades, sobras de afeto
me curvo sobre os escombros em que se oculta
vasculho por seu caminho, sua conduta
transito por seu lamento cristalizado
sonhando com seu sorriso emancipado

Bj

Batom e poesias disse...

Grã

Tão, tão, tão bonito...
Beijos

Miltextos disse...

Os últimos serão os primeiros - onde mesmo???

Batom e poesias disse...

Jorge,
os primeiros do fim da fila...