quinta-feira, 30 de abril de 2009

o que eu quero...

Renoir
O que eu quero não tem nome
não tem hífen e não tem trema
Não cabe num livro
num conto
e tampouco num poema
O que eu quero é indizível
inexprimível verbo
vocábulo inefável
 insofismável pena
O que eu quero
eu não tenho
é impalpável
é infinito impulso desmedido
é compulsivo intenso
de atitude inesquecível
sonho inalcançável
sopro de passado
inexorável tempo
 O que eu quero não tem volta
Quero minha juventude...

11 comentários:

PAULO MIRANDA (A Folha) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
PAULO MIRANDA (A Folha) disse...

PAULO MIRANDA (A Folha) disse...

Voltar no tempo de outrora
Fazer do passado o agora
Qual ser humano não procuraría esta bela história?
Infelizmente... Hoje... São memórias
Mas!!!
Sigamos em frente
Transformando do hoje para o amanhã
O particular, de cada um, a mais bela história

Leo Mandoki, Jr. disse...

..gosto qnd os escritores fazem o exercício de auto-definição. Como é a primeira vez que eu aqui entro (e gostei)...fiquei já sabendo um pco daquilo que vc é ou sente que é...gostei!
um beijo

Princesa disse...

Passei conheci e adorei
lindo de verdade seu blog
um beijo minha amiga passa nos meus tenho 6
Princesa

lau siqueira disse...

Engraçado, já eu acho que a minha juventude foi a única coisa que não me abandonou nestes 52 anos... mas, o que eu quero também não tem nome: tem fome! beijos

glória disse...

te sigo atraída por sopros de palavras cheias de energia . um duelo teso, povoado de sentimentos de ir e vir, deitar e despertar, deixar-se levar pelo frescor juvenil ou pelo riso de quem já viu. desse lugar complexo, tuas escrituras derramam poesias, lépidas como um adolecente. eu te vejo buscando um "desejo sem nome", um lastro de vida. bjs e bom sábado.

cristinasiqueira disse...

Oi Rossana,

Tem um selo para vc no blog:http://www.prisma-cristinasiqueira.blogspot.com/ passe por lá.

Com admiração e carinho,

Cris

Amiga do Cafa disse...

Brigamos. Lutamos. Amamos.
O que vale é o que a gente viveu.
Seja em qualquer idade.
A vida não nos dá uma segunda chance.
Não existe ensaio.
Pena,eu sei.
E vamos seguir querendo...é o que nos faz viver.
Bom domingo !
Beijao

Batom e poesias disse...

E vamos seguir querendo...
Adorei isso!

j. monge disse...

Não passo de um tipo normal
Apenas quero o impossível...

Já somos dois!

Beijo!

Caleidoscópio disse...

Gostei muito do texto=)