quinta-feira, 25 de junho de 2009

Palavras ao vento...

Não temo a dor que não me mata Melhor a dor que me emociona Navego em rotas clandestinas e acostumada estou as intempéries de oceanos densos perigosos Me dou bem nas tempestades Vou por caminhos periféricos e não me envergonho ou me entristeço mais Não há vaidades dúvidas ou ego e vendavais não me intimidam Mas eu tenho a minha musa intocável e o meu tamanho é desimportante diante do universo infinito do poema Posso ter a medida da baleia ou a estatura de um plâncton Lutar com a fúria da água ou juntar-me a ela Irrelevante Só a Poesia transcende a dimensão É por ela que eu vivo e a vida é curta E um poeta perdido é quando muito E um poema perdido é quase tudo E se for me fazer mal que seja feito... Quero de volta o leme da poesia Pois que o verso é o relâmpago que me acende é único farol que me guia na secreta escuridão em que me oculto.

26 comentários:

BAR DO BARDO disse...

Olá dra. Ross!

Puxa, a figura me lembrou o Titanic - the movie...

Ocorre que o seu poema é duca, metalinguístico dos bons.

Destacaria, se eu tivesse capacidade, o seguinte:
"Posso ter a medida da baleia
ou a estatura de um plâncton
Lutar com a fúria da água
ou juntar-me a ela
Irrelevante
Só a Poesia transcende a dimensão"


Gostei!

Beijo.

- Mestre Pimenta

Batom e poesias disse...

Oi moço do Bar do Bardo, ocorre que eu adorei seu comentário.
Mestre que tem tempero na caneta e no nome.
Bjs Henrique

Silvestre Gavinha disse...

Querida Ross, só posso dizer-te: AMEM!
Teus versos dizem.
Ando mesmo ausente de mim.
Aos poucos voltando à globosfera.
Sapeio, sapeio não coaxo.
Estou coxa.
Grande beijo.
Ainda volto.
Marie

Úrsula Avner disse...

Olá Rossana, cheguei ao seu adorável blog através do blog da Mirse- Meu lampejo. Gostei de suas postagens. Um abraço com carinho.

Mirse disse...

Muito Lindo, Rossana!

Também prefiro a dor da emoção e turbulências....acabamos por lucrar experiências.

"Só a poesia trancende a dimensão" "Quero de volta o leme da poesia
Pois que o verso
é o relâmpago que me acende
é único farol que me guia"

Belíssimo!

Parabéns, amiga!

Beijos

Mirse

Batom e poesias disse...

Marie,
Entendo perfeitamente a ausência.
Não é sempre possível matar um leão por dia.
Mas teus textos fazem falta e vou sempre na tua casinha procurá-los.

Volte logo
beijos

Batom e poesias disse...

Oi Úrsula,
Vou passar pelos teus blogs para conhecer melhor.
Agradeço a visita e o comentário.
Um beijão.

Batom e poesias disse...

É Mirse...
"Melhor um beijo que um tapa, melhor um tapa do que nada".
Estamos sempre precisando de emoções que nos motive, mesmo que dolorosas.

Um beijos amiga!

Fred Matos disse...

Muito bom, Rossana.
Ótimo fim de semana.
Beijos

j. monge disse...

Passei por aqui 3 vezes e 3 vezes li o poema.
Ainda nem sei o que dizer...

Amanhã eu volto!
Volto para te reler.

3 beijos, poeta!

rodrigowill disse...

"Só a Poesia transcende a dimensão"

Lindo! Belo blog é ótimas poesias/poemas.^^
Posso acompanhar?

Denise disse...

Porque mares calmos não fazem bons marinheiros.

Lindo demais tudo por aqui.
Volto!
Denise

Batom e poesias disse...

Grata Fred!
Ótimo fim de semana tb.
bjs

Batom e poesias disse...

Você diz muito em teus escritos, João.
Mas volte sim...

bjs

Batom e poesias disse...

Bem vindo Rodrigo!
Agradeço o carinho e claro que sim!
Vem comigo!
bjs

Batom e poesias disse...

É verdade Denise: Mares calmos não fazem bons marinheiros assim como corações sem emoção não fazem poesia.
Volte sim.
bjs

Mário Lopes disse...

Há poetas que procuram palavras densas de sugestividade, que captam sentimentos no limiar do que se pode ainda dizer em palavras com sentido. A Rossana segue um caminho diverso: os seus poemas são barcos que sobem o rio de sangue directos ao coração. É esse o seu farol. Palavras nuas ao sol e ao vento das quais se liberta para se apaziguar e que nós colheremos ainda puras, simples e plenas de sentido.
Lindíssimo o seu poema, Rossana.

R.Vinicius disse...

Não estou a altura do poema, em vista disso não posso comentá-lo, apenas agradecer por poder lê-la.

Abraço,
R.Vinicius

Batom e poesias disse...

Mário, meu amigo...
Realmente falta-me alguma subjetividade.
Tenho essa mania de pôr o dedo direto na ferida.

Eu adorei suas observações.
Muitíssimo grata.
bjs

Batom e poesias disse...

Vinícius,
Saiba que poemas são mesmo para ser lidos e sentidos.
Muito obrigado por passar por aqui.
Para mim significa muito.

bjs

Moacy Cirne disse...

Oi,
de blogue em blogue (talvez tenha sido a partir de um comentário seu em Mirse...) aqui cheguei. Suas dúvidas (em relação à poesia), seus textos, a escolha das imagens, seus filmes preferidos - em tudo vi um toque sensível. Ou seja: voltarei.

Abraços.

Whesley Fagliari dos Santos disse...

Amiga Rossana,

Realmente suas passagens são sempre marcantes e deixam sugestões ótimas para nós... Obrigado pelo comentário e por sua opinião tão bem expressada. Conheço o manifesto de alguns donos de restaurantes... Concordo que é uma posição dificil a deles tb... Mas, ainda assim, o desperdíci é lamentável... Obrigado pelo diálogo!

Ah, o texto acima é simplesmente maravilhoso... Sinto-me um tanto assim tb, se me permite...

Luz e paz!

Com carinho,
Whesley

Batom e poesias disse...

Obrigada pelo comentário Moaçy.
Passei pelo Balaio porreta e voltarei com calma.
Volte também.
bjs

Batom e poesias disse...

Whesley, é sempre uma surpresa visitar tua casa. Muito me comove tua indignação com as injustiças.
Recupero nos teus escritos um pouco da minha fé na humanidade.
bjs

Agelique Desirée disse...

Qui blog lindo
conheci hj vou visitar sempre
quando quiser da um pulinho no meu blog tbm
beijus coloresdelamor.blogspot.com

Batom e poesias disse...

Ei Angelique, passei pelo seu e gostei também, garota.
Volte sempre.
bjs