quarta-feira, 17 de junho de 2009

sobre mim



Tenho o coração barroco e rebuscado
com santuários góticos depredados
Pelo lirismo afoito dos amantes
E medonhos sonhos de infantes
cheios de eufóricas e ornamentais tormentas.

Adolescente pasmo ante a renascença
Cego-me defronte ao iluminismo
sem conseguir alçar o céu impressionista
Comove-me minha verve da descrença
 e o fatalismo romântico e escapista,
de ideal e sentimentalismo.

Mas também sou lá de sutilezas e metáforas
E por vezes me entalho um verso a canivete
Importa só que sangre todo dia
 e durante algumas horas da viagem
Para que a ferida nunca cicatrize
E que o poema sempre se apresente
numa dramática e dolorosa
tatuagem.

15 comentários:

Chá das Cinco disse...

Passei aqui pra te desejar um bom final de semana.
espero que tenha gostado do cha,vou preparar uns biscoitinhos da proxima vez.
um beijo
GEMÁRIA SAMPAIO

glória disse...

cara Rossana, tenho visitado tão pouco meus amigos e amigas poetas. sinto falta. Essa tua mistura entre barroco e rebuscado me encanta. Há uma estética de lirismo em tua poesia e um pulsar de intensidades bem desenhadas.

"E por vezes me entalho
um verso a canivete
Importa só que
sangre todo dia
e durante algumas horas
da viagem"

Essa palavras-imagem me falam do jeito da poeta, deixar ferver, deixar sentir, se deixar atravessar e, depois, talhar palavras no coração da gente.

Batom e poesias disse...

Gemária, pode ser uns biscoitinhos de nata?
Bom fim de semana pra vc também, querida.
bjs

Batom e poesias disse...

ô Glória, como eu tenho sentido a falta de tuas visitas e ainda mais de teus escritos.
Seus comentários sempre me encantam pois demonstram compreensão literária e emocional.

Me abandona, não...

bjs
Rossana

Anjuh disse...

Magnifico,uma obra de arte completa em cada um dos sentidos empregados e de uma linguagem rica e dramatica que desconheço tamanha habilidade,sutil e clara uma coisa rara de se encontrar em qualquer espaço...
Parabens!

Bea - Compulsão Diária disse...

Faço minhas as palavras sempre benditas da Gloria. E acrescento: seus versos são entalhados por fino esmeril. E seu lirismo é leve e firme. Dói na lucidez das tetinas.

Mirse disse...

Belo, Rossana!

"E que o poema sempre se apresente numa dramática e dolorosa tatuagem"

Lindo demais!

Parabéns, amiga!

Beijos

Mirse

Nessa Anee Hudigns disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Batom e poesias disse...

Anjuh, quanto tempo não aparece aqui pelo meu cantinho.
Fiquei envaidecida pelos seus elogios.
Muito grata.
Volte mais.
bjs

Batom e poesias disse...

É Bea...
Dói em mim também.
Nem sempre o poeta é um fingidor...
Bjs querida!

Batom e poesias disse...

Minha amiga Mirse.
Sempre com uma palavra doce e carinhosa.
Um beijo que tatue seu coração de luz!

Cavaleiro dos Dragões disse...

encantador...
um beijo despido de tatuagem e cheio de coragem para encontrar o funod da alma

Batom e poesias disse...

Que bom que gostou, Zé.
Um beijão procê tb.

BAR DO BARDO disse...

Nossa!, tu és a síntese da tradição literária ocidental... Que bom!

Batom e poesias disse...

Tenho cá para mim, que tiraste o dia para me zoar, Dr Henrique Pimenta.
Que bom!
Bjs