segunda-feira, 28 de setembro de 2009

cuidado...



Nunca é tarde pra se perder na vida
Até hoje eu tento andar nos trilhos
pois que qualquer distração eu descarrilo
e me acabo num vício ou num exílio.

Nunca é cedo pra se perder o bonde
Não existe um só ponto sem perigo
pois que qualquer desvio, um desatino
virá nas noites más um bom castigo

O destino é traiçoeiro e ardiloso
é uma rede tecida com finos fios
romper-se a trama é fácil e perigoso
mergulho sem volta em denso rio

Cuida bem, pondera, pensa muito
porque num instante tudo está perdido
É sutil o portal entre o que não presta
e a armadilha sedutora dos sentidos

A munição é pesada, a guerra, insana
Eu mesma me vigio todo dia
e todas as noites eu me policio
pois que senão me entrego aluada
às tentações devassas e mundanas
e me abandono às perdições desavisada
e inexoravelmente desvario....
.

33 comentários:

Adriana Karnal disse...

É Rossana, a linha é tênue entre a sanidade e a loucura...me fez pensar muito esse texto..

Mai disse...

Oi, querida.
E nessa rota de chegar chamada destino, o que não é des_tino?
Caminhos são rotas de ir.
Tempo. Cedo ou tarde sempre serão, todavia, tarde ou cedo e nessa rota haverá 'furos' por onde algo parece escapar e, assim...
É mesmo tênue a linha e o olhar. Conhecer e em boa medida se conhecer o bastante para não paralisar e ai, de tanto temer, perder o bonde certo de ir, na hora certa das coisas e ficar, na hora de ir.

Vês, "...olhando de perto..."
Belo texto de pensar. Razão de pensar e sentir.
Beijos, Rossana.
Fica bem.

BAR DO BARDO disse...

Eu amo "LARANJA MECÂNICA". E você apresentou um sumozinho...

Parabéns!

Batom e poesias disse...

Adriana
... assim como é tênue os limites da vida e morte. Tudo pode estar por um segundo...

Um beijo.

Batom e poesias disse...

Mai
Seu comentário me fez refletir...
O mêdo pode paralisar e nos fazer perder o bonde certo para ótimas experiências.

Adoro seu ponto de vista sempre peculiar.
Estava com saudades

bjs

Batom e poesias disse...

Henrique
Ainda bem que você falou o diminutivo de "sumo"... hehehe

Adoro o filme também.
bjcas meu bardo.

Mirse Maria disse...

Oi Rossana!

Lindo soneto! Des tino e des a tino estão realmente próximos.

Andar nos trilhos, não faz muito minha cabeça, a não ser que sejam tortos e sinuosos, os trilhos!

Mas o que interessa, é que você arrasou!


Parabéns, poeta!

beijos

Mirse

Lara Amaral disse...

Sábio poema. Principalmente àqueles que acham que estão preparados para tudo na vida, que pensam que nunca irão "balançar". Muito bom! Beijos, Rossana.

Fred Matos disse...

Poema maravilhoso, Rossana.
Gostei muito
Parabéns
Beijos

Fred Matos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fred Matos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bia Maia disse...

Somos todos IGUAIS: Mortais!
Amei seu post!

Uma linda semana para você!

Biazinha

Batom e poesias disse...

Mirse, querida
Você sempre generosa em sua avaliação, mas fique fora dos trilhos sinuosos, mocinha.
Um beijo

Batom e poesias disse...

Larinha,
Nada é certo, querida.
Prudência e canja de galinha não faz mal a ninguém.
bjs

Batom e poesias disse...

Fred
"Maravilhoso" vindo de um poeta como você, é maravilhoso!!!!
Grata
bjs

Batom e poesias disse...

Bia,
Somos sim, iguais, mortais e sobretudo, humanos.
Que bom que amou.
Ótima semana também.
bjs

Daniel disse...

Lendo essa poesia (que achei muito boa), chego a conclusão de que o ser humano é a causa de todo o mal existencial. Não há ninguém a não ser ele que trás a guerra, intriga, brigas e etc.

Mais uma vez eu tenho de dizer, como sempre digo em outras ocasiões, só depende da gente ainda. Mesmo que demore várias gerações, mas um dia pode ser diferente.

Beijo

flávia disse...

Gostei,sobretudo em relação ao destino...fino,com opções,novas possibilidades,liberdade, autoconhecimento...
bjus

Batom e poesias disse...

Daniel
Concordo com você, mas a humanidade ainda me comove.
Um beijo

Batom e poesias disse...

Flavia.
Grata pela visita e comentário.
As possibilidades estão todas aí.
Depende de nós...
bjs

Ariana disse...

É preciso mesmo tomar cuidado para não sair do trilho...
Mas e cadê a consciência quando somos pegos de surpresa com as batidas mais fortes do coração?
Versos bem reflexivos os de hoje!

Beijos pra ti!

Mário Lopes disse...

Lindo e transparente poema, no teu estilo inconfundível, Rossana! Que bem que sabes trazer à superfície ilusoriamente calma, toda essa tensão de permanente patrulha que fazemos às nossas opções, atitudes ou escolhas e nos mostras os holofotes, radares, infra-vermelhos, minas e arames farpados que nos cercam os pensamentos. Eu procuro nem pensar nisso (claro que não consigo), e prefiro imaginar que podemos simplificar a equação e fazermos nascer outra imagem: um homem parado, antes de atravessar a passagem de nível sem-guarda, olhando para a placa que diz-"pare, escute e olhe"-(nos filmes de cowboys ainda encostavam o ouvido ao carril, mas era por outros motivos, malévolos, tipo saber quando vinha o comboio para o descarrilar e assaltar) e calmamente atravessar a linha quando o comboio...Não estiver a passar, claro. E mesmo assim morrem pessoas nas passagens de nível desta vida, por opção própria ou pelo destino. Os carris desta nossa sociedade, que cada vez controlamos menos, são mais complexos e, muitas vezes, estreitam-nos como as margens aos rios e matam-nos os sonhos que levamos connosco, como uma criança que nunca verá o mar. Mas, enquanto houver homens e mulheres (como tu) que se comovem com o que a humanidade é capaz, haverá esperança de se corrigir o rumo, mesmo que nasçamos com a violência dentro de nós, qual serpente dentro do ovo, como Kubrick nos ensinou na "Laranja Mecânica", em "Shinning" ou em "Full Metal Jacket", por exemplo.


Beijo de liberdade, minha querida amiga.

Lai Paiva disse...

Rossana que lindo. Me identifiquei tanto nas suas palavras...

Batom e poesias disse...

Ariana,
Livre arbítrio e resistência...
É o que nos distingue.
Um beijo!

Batom e poesias disse...

Mário,
Você consegue discorrer numa deliciosa prosa toda a síntese que a poesia não permite.
É como se eu lesse minha melhor tradução.
Eu adoro.
bjs

Batom e poesias disse...

Lai,
Quando alguem se identifica nos faz sentir que a poesia não é em vão...
Um beijo

DANIZINHA disse...

Maravilhoso. Deliciosos esses versos.
E sim, é verdade. Se nã prestamos atenção nos perdemos.
"É sutil o portal entre o que não presta
e a armadilha sedutora dos sentidos"

beijos

Wilson Torres Nanini disse...

Acredito profundamente nisso! Acho que somos pássaros bélicos voando de forma incauta contra a cilada dos muros e dos edifícios altos. Seu Blog é maravilhoso! Abraços

tonhOliveira disse...

Rossana

Sei o que é estar "por um fio / por um segundo",
mas ainda aprendi, tô na zona de risco...

Linda reflexão!

Beij♥ ← nele!

Batom e poesias disse...

Danizinha,
Os sentidos nem sempre são de confiança, não é?
Obrigada por vir.
bjs

Batom e poesias disse...

Wilson,
Eu agradeço muito a visita e o comentário carinhoso.
Passei para conhecer "Quebrantos, relances e abismos ao relento".
Gostei muito.
bjs

Batom e poesias disse...

TonhO
Não se pode descuidar, querido. Mas o que te deixa no "fio" é o que te faz malabarista da arte.
E você é dos melhores!
Bj no coração tb.

Marcos Satoru Kawanami disse...

eu também.