quinta-feira, 14 de outubro de 2010

favo

imagem do google

Ganhei um favo de mel
Foi um anjo que me deu
Veio-me então a idéia
Que se pudesse ser estocado
o amor se guardaria
em recipiente sextavado
onde nada é desperdiçado.
E se juntado a outros
o amor vira colméia

Infinitamente

Rossana Masiero

26 comentários:

Flavio Ferrari disse...

Que imagem linda de um amor gostoso ...

Adriana Karnal disse...

Rossana,
nossa, emocionante! e essa música de fundo...

nydia bonetti disse...

Também achei linda a imagem dos favos dentro do vidro sextavado. Sim, o amor é colméia - ou deveria ser... Beijo, Rossana.

Daniela Delias disse...

Que doçura de poema!
Bjinhos!

tonhOliveira disse...



"SEXTA.fava.DO".

HEXAGONALmente belo!

LambuZ.z.z.z.z.ei-me!

:)

olhar disse...

que lindo demais o amor virar colméia....que delícia mais doce!

beijos com carinho,

Bia

Marcantonio disse...

Belíssima imagem essa do recipiente sextavado. E a conjunção de inúmeras arestas em doce convívio, formando um plano perfeito.

Beijo.

Assis Freitas disse...

caramba, tô todo lambuzado de versos

beijo

Stella Tavares disse...

Rossana, senti muita falta das imagens que você inventa, transforma. Saudade de ser conduzida pela beleza dos seus poemas.
Bjs

Flávio Morgado disse...

Melhor que guardá-lo é vivê-lo.
Bacana trabalhar com essa idéia.

F.M.

Eraldo Paulino disse...

Uau!

Me senti do tamanho do mundo agora.

Bjs expansivos no batom!

Mirze Souza disse...

Ross!!!!

Que lindo e delicioso poema em favo de mel!

Guardado em recipiente, realmente o amor não se perderia. E havendo seis partes, mais espaço para multiplicar sentimentos. Aqueles que cercam o amor.

Acho que esse anjo fez muito bem. E entregou à pessoa certa.

LINDO POEMA!

Beijos

Mirze

Michele P. disse...

Rossana

Encantadora esta visão do amor. Nunca tinha pensado em nada parecido.

Beijos e um final de semana abençoado!

Stella Tavares disse...

Rossana, confesso que estava meio travada para tocar no assunto do processo pq fui advertida pelo meu advogado que tomasse cuidado com as palavras. Que evitasse falar de forma taxativa que houve plágio pq o processo ainda não foi julgado e isso poderia causar problemas futuros. Acho que encontrei o jeito certo de contar os fatos exatamente como aconteceu, sem me comprometer. Acho que elucidei melhor. Se puder, volte lá pra ler.
bjs

Zélia Guardiano disse...

Que doçura de versos, Rossana querida!
Uma colméia feita de amor: delícia!
Poema encantador, amiga!
Grande beijo

Lara Amaral disse...

Vim pegar um favinho seu, deixar um meu =).

Beijo, florzinha!

cristinasiqueira disse...

Oi Ross,

saudade.

Lindo e docinho sem açucarar demais.

e que seja assim o teu doce favo de vida.

Obrigada,


Cris

Solange disse...

Rossana....

esse amor colméia e esse lindo e suculento favo alegraram minha noite...

que doce... literalmente !

beijo grande

Ribeiro Pedreira disse...

PERFEITO, ROSS...
SIMPLES ASSIM!

Danilo de Abreu Lima disse...

que o amoir vire colméia
e que as abelhas sobrevivam
ao amor
Danilo.

contagotas disse...

Que bom chegar ao seu espaço e ter como presente um doce em recipiente sextavado.

Beijos
MariaIvone

Juan Moravagine Carneiro disse...

Andei meio ausente por vários motivos, mas aos poucos estou voltando

abraço!

Mário Lopes disse...

Às vezes os anjos entregam favos de mel para alimentar o amor. Desesperam-se com as abelhas desorientadas nas manhãs pálidas de azul que lhes roubam o cheiro do néctar. Ainda esperam que na última luz da tarde regressem com o ouro do dia. E o amor possa enfrentar a madrugada por amanhecer, com um brilho nos olhos.


Um anjo te deu um favo de mel, mas as palavras que brilham não, abelhinha laboriosa! Lindo poema!

Beijo mais que doce.

dade amorim disse...

Ideias geométricas, ternas, doces - e eis o poema.
Beijo.

Amiga do Cafa ( Celamar ) disse...

Ai o amor !
Que seja infinito enquanto dure. risos

bj

Cris de Souza disse...

Ô delícia de lira!