quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

P[r]IORIDADE

Foto: Wilson Junior

(Dialogando com Lara)

Eu também tenho uma velhinha
que nem é muito minha
Ela me adotou
e o destino a dotou
de raízes
que ela insiste em fincar
na existência
a resistente
Mesmo doendo
o que é possível doer
Sem poder fugir
ou crescer
Metade do tamanho
da mulher que foi
um dia

[Velhice é a grande piada
de Deus com a humanidade]


Decreptude
dize-me onde está a poesia?
Na repetição desumana
do dia a dia?
Nas costas arcadas?
Nas fraldas encharcadas?
Na pele enrugada?
No fedor e na solidão?
Olhos opacos e perdidos
num passado sem cor
espiando lembranças
expiando...
E um terço nas mãos
Sem esperas
nem sonhos
Só dor...
Prioridade é viver? 



16 comentários:

Assis Freitas disse...

desconcertante,


beijo

Maria Rita disse...

Costumo dizer que Deus tem um humor bem estranho, como já dizia Cássia Eller..."Deus é um cara gozador, adora brincadeira!" Rs

Beijos pra Ti

Lara Amaral disse...

Uau, Ross! O título ficou sensacional; o poema, um soco na boca do estômago.

Obrigada por dialogar comigo, por misturar sua poesia à minha nessa cumplicidade que só nós sabemos como é.

Um beijo, minha linda!

Juan Moravagine Carneiro disse...

Silêncio, Exilio, Astúcia (James Joyce)

Nielson Alves disse...

Muito próximo de ser novo essa seu poema brigão!
Nielson ALves

tonhOliveira disse...



"PhotoShopear a alma é uma solução"!

:)

Mirze Souza disse...

ROSS!

Esse diálogo com Lara é de arrepiar!

Minhas duas grandes deusas-amigas juntas, hão de fazer Deus ter mais piedade com os velhinhos que sofrem!

Amo vocês!

Beijos

Mirze

Mário Lopes disse...

A vida é cruel e a tua poesia - por mais bela que seja, e é-o - também. E é assim que ela deve ser. Como disse Joan Margarit num poema: "não há mais nada. A poesia é agora a última casa da misericórdia".

À tua interrogação fundamental, respondem muitos afirmativamente, com a mais descarada hipocrisia, filosófica ou outra.

Tu e Lara são mesmo almas poéticas umbilicalmente ligadas. Maravilhosas almas, e não só poéticas.

Um abraço que abrace as duas por inteiro. E um beijo terno.

Phoenix disse...

e que grande conversa entre as duas..*

MariaIvone disse...

Amiga, qualquer palavra acrescida seria excesso.

Beijo

Em@ disse...

Puseram-me assim...a matutar ainda + num assunto que me incomoda .
o que é bom!
beijo

Dilberto L. Rosa disse...

OLha, Poesia não se responde (no máximo é em "feitio de oração", como dizia o Poeta maior da Vila), mas, como questionamento rouco de tuas verves poéticas mais profundas (pelo menos foi o que se captou), vejo Poesia até na decrepitude... Poesia triste, lacônica, daquelas que sabem pegar um grande verso e fazê-lo curvar sobre si mesmo, para ver que, no fundo, ele ainda tinha muito a aprender com o resto da estrofe... E também para fazer com que os acéfalos de Poesia que viviam em volta daquele poço de vida e saúde possam, enfim, ter certeza que Poesia também definha, para, no fim de tudo, saber renascer... Mas sempre assim, reaprendendo, revivendo... Afinal,

"Ofereçam-me pêsames
Pois que nada ressuscita
o viço da poesia."

Será? Acrescentaria (quem sou eu diante desta diva do 'jazz' e da Poesia livre, leve e solta?!) ao último verso a derradeira palavra "perdida", pois que, sim, a Poesia ressuscitará logo após o derradeiro enrugamento - vá por mim, "já conheço os passos dessa estrada", mas sei que todas levam a algum lugar...

E viva a velhice, que é o doente recordar da Poesia até seu último suspiro antes de renascer criança...

Tudo isso para lhe desejar um mais que feliz e musical 2011 (uma vez que não estava por perto, acabei botando minha leitura por aqui em dia e me aprofundando no comentário, graças à inspiração toda daqui...)! Abração para toda a (talentosa) família!

Leo Mandoki, Jr. disse...

há mto tempo q não vinha aqui!...e tudo por aqui está diferente; essencialmente a tua poesia. Está melhor e mais incisiva.
tente encontrar o poema When You Are Old, de W. B. Yeats...é um poema que se completa com esse teu
...
um beijo

MariaIvone disse...

Amiga, teu poema me impeliu a postar no "acontagotas" meu sentir sobre "os desenhos da Carlota". É um rascunho, jamais seria para publicar, mas o impulso deu forte.

Beijo com carinho

Poesia Cibernetica disse...

Nossa! Lindo!

Miltextos disse...

expiando