terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Da imprevisão dos tempos

imagem do google


Sob o céu que ameaça desabar
e arrebatar-me em enxurradas
as obscuridades caçoam da minha alma
Despejam-se sobre mim trovoadas singulares
e borrascas broncas que não fazem distinção
entre cores, credos ou medos

Desfazem e recompõem a extensão da calma esbalurtada
Mas eu ando por aí provocando
o universo e achincalhando a chuva

Eu que não sou astrofóbica nem nada
até que me apraz desabalar-me ao temporal
Aliás [desiderato] enquanto relampeja
bailo insana entre nuvens carregadas
que embora celestes nada tem de divinal

Em minha nudez coreografada de desastres e tragédias
Chovo
e atingida enquanto derramo-me
amoldo-me
Regresso poeira sideral e fragmentos
de meus próprios pensamentos
Lamaçal.

33 comentários:

Mirze Souza disse...

Sensacional, Ross!

A última estrofe está divina e mágica.
"Chovo
e atingida enquanto derramo-me
amoldo-me
Regresso poeira sideral e fragmentos
de meus próprios pensamentos
Lamaçal."

Além do lirismo, as metáforas deram um show, através de você.

Beijos, flor!

Mirze

Maria Rita disse...

Sou desta opinião: Já que é pra chover vamos chover bem chovido...rs

Desculpe-me a ausência essa correria dos dias ainda me põe louca, vou ficar por aqui me atualizando das novidades!

Beijos pra Ti

Grã disse...

Recolhia-a, pingos, nas mãos e, morna, sentia seu cheiro-água enquanto deixava-lhe me escorrer pela boca, queixo, peito, enrroscando-se em pelos e espalhando-se barriga'baixo.
Ensopada, empoçada... empossada.

Bj

tonholiveira disse...



muita água vai rolar
lavando e levando dores,
aguando alegrias na horta
para colher um sorriso em flor.


Matei a sede!

:)

Suzana Martins disse...

As palavras conotam momentos que o tempo de hoje não fez previsões...

Beijos

Assis Freitas disse...

estilhaços de nuvens


beijo

Lara Amaral disse...

Está difícil de andar no lamaçal, minhas pernas nunca pesaram tanto numa caminhada.

Excelente poema, Ross!

Beijo.

Michele P. disse...

Ross

Todas as vidas deveriam ser vividas intensamente... seríamos mais felizes!
Poema maravilhoso, quase sensorial!

Um abraço

Batom e poesias disse...

Ô Mirze, minha generosa amiga.
Fico tão feliz quando gosta.

beijão

Batom e poesias disse...

Maria Rita, eu adorei essa história de "chover bem chovido". Eu já faço logo tempestades...rss

Que bom que voltou.
bjs

Batom e poesias disse...

Nossa, Grã.
Que coisa mais sensual...
Lindo.

beijos com cheiro-água

Batom e poesias disse...

Tonho, você é um bebum... rss


:D

bjcas

Batom e poesias disse...

Suzana
O tempo e suas imprecisões...
Grata por vir, querida.

bjs

Batom e poesias disse...

Assis,
Fragmentos de minha alma...
bj

Batom e poesias disse...

Larinha, minha alminha,

Você levita...
:)
bjca

Batom e poesias disse...

Michele, que bom que apareceu!
Estava com saudades.

bjcas

MariaIvone disse...

Rossana, voçê não cansa de provocar, qualquer dia cai-lhe um raio em cima! :)
Seu poema é lindíssimo, vai-nos agarrando verso a verso até à apoteose final.

Quanto ao seu comentário no "acontagotas", é bem verdade que eu faço muita coisa ao mesmo tempo, por isso me disperso e não me encontro.

Beijos querida amiga

Marcantonio disse...

Dentro e além da atmosfera, cosmológica insurreição, inquietude meteorológica.

Densas nuvens, intensas precipitações poéticas.

Beijo,Rossana.

Wania disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wania disse...

Rossana


É uma prévia das águas de março fechando o verão...

Linda construção poética, me lembrou Tom Jobim.



Bj grande e muitas promessas de vida no teu coração!

Batom e poesias disse...

Queria MariaIvone.
Seu comentário me deixa muito feliz.

Sei bem o que é dispersão... rss
bjs

Batom e poesias disse...

Dentro e além da atmosfera, cosmológica insurreição,
inquietude meteorológica.

Isso é lindo!
Obrigado.
bj

Batom e poesias disse...

Doutora, querida,

Eu chovo mesmo...rss
Grande Jobim!

bjcas

Flavio Ferrari disse...

Suas poesias são sempre lindas e intensas ... mas você anda precisando de uma massagem ... rs

Anne M. Moor disse...

Rossana

Vim conhecer seu canto e me deparo com as chuvas de uma alma em movimento. Lindo poema!

beijos
Anne

Mário Lopes disse...

Santa Bárbara protege-te, definitivamente, poeta electrizante, chovendo por dentro, em cada verso derramada.

Beijo terno.

Batom e poesias disse...

Flavito, verdade...
:)
bjcas

Batom e poesias disse...

Oi Anne!
Seja muito bem vinda, querida.

Bjs

Batom e poesias disse...

Mário,
Disseram-me que (no candomblé)sou filha de Iansã, orixá cuja figura, no Brasil, é sincretizada com Santa Bárbara.

:)

bjcas

Eraldo Paulino disse...

Se as nuvens estão carregadas

que chova então!

bj no batom!

Cris de Souza disse...

abalou!

" vou pra rua e bebo a tempestade..."

Batom e poesias disse...

Farei isso, Eraldo!
Nuvens carregadas...

bjcas

Batom e poesias disse...

Cris,
"eu semeio vento, na minha cidade..."

bj