quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Do afeto


Não há mais o que dizer
meu amigo
agora que a comoção
rematou
a lembrança de
um amor
grande e antigo
que o tempo
purificou
Não é que desandamos irmãos
Nem que me és indiferente
Não é que não exista paixão
É que o profano consagrou
Refinou o sentimento
inerente
[que resiste ao tempo
e desiste do contato]
É a afeição  
que nos escolta
agora e eternamente.

27 comentários:

mARa disse...

Sublime!

bjo!

Flavio Ferrari disse...

Afeição ... sentimento curioso esse

Fouad Talal disse...

Não é porque sou homem, acredite, mas nunca vi isso acontecer. Geralmente não sabemos lidar com isso.

Haja maturidade para "refinar o sentimento", é quase uma alquimia promovida pelo tempo.

Beijo meu.

Marcantonio disse...

Não deixa de ser triste, de alguma forma, se do contato desiste e se conforma, como se se fizesse abstrato, esse afeto desprendido de um objeto do desejo. Não consigo imaginar que o que fora livre paixão, se submeta tempo afora à escolta da afeição.

Um beijo.

Adriana Karnal disse...

afeto...lindinho o poema...a meiguice parece nao ser o seu forte, mas esse ficou ;)

Wania disse...

Rossana,

Amores em banho-maria, triste fim pra um sentimento que chama!
Dispenso(ei) a proteção, prefiro as queimaduras!



Lindíssima a tua poesia, uma verdadeira dissecação da realidade.
Bj grande

Lara Amaral disse...

Há momentos em que só se resta um sentimento que não se comove, nem se mistura com outros, mas persiste, mesmo que morno.

Beijo, amada.

byTONHO disse...



há fé 'tou'... afetou-me!

:(:

Mirze Souza disse...

ROSS!

Lindo poema, mas será que tem que ser assim? Se for feliz, tudo bem.

Beijos, flor!

Mirze

Leonardo B. disse...

[na troca de chama que o todo em nós reclama, há tanto e tão pouco, intenso momento, resumo dos afectos]

um imenso abraço, Rossana

Leonardo B.

Dilberto L. Rosa disse...

Doce amargor que resta na boca depois que soçobra o amor... Belos e prosaicos versos, minha cara: abração!

Batom e poesias disse...

Obrigada mARa.

Bjca lilás.

Batom e poesias disse...

Não é, Flávito?
bjcas

Batom e poesias disse...

Ah Fouad, acho que é só um fim, que na verdade nunca acaba.

:D

bj

Batom e poesias disse...

Marcantonio
O que sobra quando a paixão se vai?

Talvez esse seja o mais sublime dos sentimento.

bjcas

Batom e poesias disse...

Adriana
A poesia é mesmo uma catarse.

[Todo mundo me acha tão meiguinha...] :D

Fico feliz quando vem.
Bjs, querida.

Batom e poesias disse...

Wania, minha amadica

A vezes paramos de sentir e pronto.
Sem opções...
Mas, também prefiro a chama.

:)

bjca

Batom e poesias disse...

Exatamente, Larinha.

"Matou a pau"!
:D

bjs, minha linda.

Batom e poesias disse...

Enquanto
há-fé-to-nho
há esperança.

:D))))

bjs

Batom e poesias disse...

Mirze
Que seja o que vier...
bjs, querida

Batom e poesias disse...

Leonardo,
Que verso lindo.

Resumo dos afetos, meu caro...
Nada é eterno.

bjs

Batom e poesias disse...

Dilberto, é um gostinho amargo, mas não mata.

:D

bjs, querido

olhar disse...

falar de afeto, é sempre lindo....e senti-lo...é melhor ainda!

um beijo!

Bia

A.S. disse...

Na enseada do teu peito moram ainda todos os sonhos, todos os desejos, todas as fantasias!


Beijos...
AL

Myrthes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Batom e poesias disse...

Afeição é um bom sentimento, Bia.
Beijos, querida

Batom e poesias disse...

Claro que moram, Albino.
Beijos