domingo, 29 de novembro de 2009

Confissão



Dos sete pecados capitais,
cometo alguns comumente,
uns, mais raramente,
um ou outro, jamais.
Luxúria? Só um pouquinho...
Inveja? Nem um tiquinho!
Ira? Nem sempre com quem merece.
Avareza? Nunca! Verdade!
Da Soberba, só a vaidade
Admito a insofismável Gula.
Mas o pecado dileto
Que reincido todo dia
É a danada da Preguiça
nome, que por analogia,
São Tomás de Aquino
deu à Melancolia.

25 comentários:

Amiga do Cafa ( Celamar ) disse...

Que poesia interessante !!
Muito, muito boa.
Acho que vez ou outra, cometo todos os pecados. Vixe . Uns mais, outros menos. Quem não os comete ? Putz, somos imperfeitamente humanos, buscando a perfeição que está distante....

Bom, saudade também ! Estamos em sintonia.
Explico :Olhei para a lista dos meus blogs e vi que vc tinha atualizado o seu. Pensei : Preciso fazer uma visita a Rossana.
Saí . Quando voltei ao " Cafa", tinha um comentário seu.
Quanto a sua pergunta, prometo que o nó vai se desfazer. Nem eu imaginava que o blog fosse durar tanto. Fui acrescentando digressões e a história aumentando.

Um livro, já teria terminado, pois adiantaria os capítulos.

Às vezes penso que minha relação com o Cafa durou menos tempo. Escrever a " nossa história" dá mais trabalho..kkk

Mas está perto de acabar ( ainda tem água para rolar ) . O problema é que nunca sei como será o próximo capítulo.

Mesmo colocando um ponto final na história , vou continuar com o blog. Ainda pensando como.

Meu livro de contos ainda está no " forno" e enquanto não sai, não posso pensar no "Cafa Livro".


Excelente semana !
Beijão

Lara Amaral disse...

A-do-rei! Show!
O meu é gula, sem dúvida, hehe...
E essa tal de melancolia, tão conhecida minha e eu nem sabia seu codinome.

Esse poema ficou num ritmo muito bom, Ross.

Obrigada por me passar o e-mail.

Grande abraço!

Mai disse...

Pois é...O danado na preguiça é que, sentada na melancolia, dá uma preguiça se alegrar.

Cometo todos os pecados. Alguns, apenas nas doses bastantes para curar-me do veneno . Assim, portanto, me são vacinas.

Beijos e aplausos.
Boa semana.

Mai disse...

Rossana, você sentiu junto mas eis que esta é a grande questão. É preciso fugir sim, mas dos escapismos, esta é a grande sacada. Viver chateado mas sem desdita. E quem é forte o bastante para ser intenso, precisa segurar a onda de querer fugir.
Por isto, ainda que amenos, segurar nos cordéis e fincar-se na poesia.

Como no batom com que as escreves.
Muito carinho.
"...mas é preciso ter força é preciso ter raça é preciso ter gana, sempre.."

Viver é preciso.
sigamos.

Adriana Godoy disse...

Arrasou! Delicioso e instigante poema! Bravo. beijo.

Paradox Doc disse...

Lindíssimo... e a imagem, então, altamente inspiradora!!! Adoro teus poemas.

Wania disse...

Rossana

Genial esta tua poesia!
Parabéns.

Acho que cometo todos, variando nas escalas conforme variam as estações...rsrsrs...mas te juro que tô tentando melhorar e reduzir todos à doses homeopáticas!!!!!!!

Bjão, Amiga querida!

Batom e poesias disse...

Celamar,
Que bom que veio, amiga.

Espero que o livro esteja de vento em popa.

Quanto ao blog, você é uma cronista excelente. Seja qual o assunto, você vai "tirar de letra".
bjs

Batom e poesias disse...

Larinha, veja só,

Pelo menos São Tomaz teve o bom senso de excluir a "melancolia" como pecado capital.

Os poetas seriam todos condenados ao fogo do inferno... rss

Beijos querida.

Batom e poesias disse...

Mai
Finco a estaca e seguro
eu juro...

Possuo a estranha mania de ter fé na vida...

Já disse que te adoro hoje?
bjs

Batom e poesias disse...

Adriana
Eu fiquei feliz pelo que escreveu.
Grata.
bjs

Batom e poesias disse...

Paradox

Que bom que adora. Fico toda boba!
Obrigada.
bjs

Batom e poesias disse...

Viver é mesmo isso, né Wânia?

A gente vive tentando melhorar, diminuir o pecados sem perder os prazeres, mas acho que um não existe sem o outro.

O que fazer, então?

Beijos amiga.

Emerson Souza disse...

E quem não peca (pelo menos um pouquinho)?! O novo papa, por exemplo, ta pecando toda hora. O Dalai Lama só faltou sair na mão no Tibete.
O lance é "acertar a mão".
Bjus.

Ribeiro Pedreira disse...

Cara Rossana,

Guardadas as devidas proporções, sua poesia tem algo de Florbela Espanca. Foge à fórmula poética feminina que se vê por aí de algum tempo pra cá. Parabéns!!! Já sou seu seguidor.

Batom e poesias disse...

Emerson,
Você é ótimo!
Visitei o seu barco e navegarei por lá.
bjs

Batom e poesias disse...

Ribeiro,
Adoro Florbela, e adorei seu comentário.
Muito honrada.
bjs

tonhOliveira disse...



Dói a inveja irada da gula em mim...

Sou pecaDOR!

Ái!

Beijos!

Batom e poesias disse...

Grande TonhO e seu sempre ótimos trocadalhos!

As vezes, somos Peque(nos).

Adoro
bjs

Gian Fabra disse...

dizem q cada um dos sete infernos pertence a um dos pecados...

se for assim, fico com a luxúria

e cada um com seu inferno
=)

muito bom
bj

Stella Tavares disse...

Quem não comete algum desses pecados? Mas sinta-se absolvida por ter cometido uma poesia assim tão incrível! Adorei!!!
Bjs

Batom e poesias disse...

Gian,
É um pecado muito bem escolhido!

Cada um com seus demônios...

Grata por vir.
bjs

Batom e poesias disse...

Oi Stella

Que bom que gostou.
Será que "vaidade" é um pecado muito grande?
Fiquei.

bjs

guru martins disse...

...comedida...

Ianê Mello disse...

Pode-se dizer que você quase não peca...rsrsrs

Beijos.