sábado, 12 de junho de 2010

aprendendo


          Like a flower in the breeze - Amanda Cass

          Estou começando a achar a vida divertida.
          Que o destino não me pregue uma peça ingrata por sentir-me assim.
          É uma sensação que só a maturidade traz e isso é impagável.
          No frigir dos ovos, estou no lucro.
          Tenho decidido olhar minha existência através da janelinha dos meus olhos como se assistisse a uma aprazível comédia.
          A despeito das tragédias humanas, que não sou insensível e das minhas próprias tragédias, começo a gostar verdadeiramente de estar viva.
          Essa percepção só se tem em dois momentos da vida: quando se é muito jovem, por volta dos vinte anos e só retorna depois dos quarenta. Para alguns demora mais.
          Não troco esse sentir por nada. Nem pela juventude!
          Trocaria outras coisas, se possível fosse, como um corpo mais rijo e magro, uma pele mais viçosa, e a disposição para divertir-me mais intensamente.
          Mas teria que ter algo dispensável para dar em troca, porém não quero me desfazer de nada do que trago comigo agora, que tudo tem importância e nada de mim, nesse momento, é supérfluo.
          Sou repleta de paciência, de compaixão e de amor, e não rescindo da minha madureza, meu bem estar e da impagável sensação de liberdade. Liberdade sim!
          Liberdade de não ter precisão de ser o que esperam que eu seja, pois definitivamente sou o que me tornei: a somatória do que já fui, as experiências que tive e os sentimentos que conheci.
          Prazeres, dores, ansiedades, alegrias, saudades, angústias, expectativas, entre outros sentimentos, construíram a pessoa que sou.
          Livre dessa responsabilidade, caminho mais leve e alcancei definitivamente uma alma mais serena.
          Um “estar” que não tem quase nada a perder.
          Evidente que ainda tenho sonhos e desejos a realizar, mas a grata consciência de que dependem exclusivamente de mim e de mais ninguém, me apazigua a alma.
          Posso escolher como estar - a menos que me venha alguma dor incompatível com a delicadeza de viver assim - sem culpas.
          Vou andar por aí do jeito que meu humor diário me solicitar.
          Irão dizer talvez, que estou começando a ficar excêntrica nos modos, no jeito de ser ou de vestir, mas isso também já não me incomoda.
          Não é que é bom?
          Ando sem medo do tempo, agora que não transporto mais a sensação de urgência pelas coisas que ainda não fiz. Vem-me a constatação suave de que o que não foi feito, não era para ser, ou ainda será no seu devido tempo.
          Talvez, isso seja a tal da “felicidade” que a gente almeja durante toda a vida.
          Já não existe a preocupação de insatisfação eterna com a aparência, até porque se compreende que esta é efêmera e o tempo, inexorável.
           Acaba por ser um alívio.
          Claro está (para mim ao menos), que não vou entregar os pontos facilmente e me deixar enfear muito, enquanto for razoável. Ainda resta um pouquinho de aceitável vaidade.
          Uma senhora (de 90 anos) me disse: - Uma mulher tem que ser sempre prestimosa. Eu adorei a palavra “prestimosa”, e ela é um exemplo disso. Apesar de engelhada pelos anos, está sempre perfumada, vestida com apuro, com brincos e outros adornos, mesmo quando está adoentada.
          Além do mais, tenho que confessar que meu juízo de “beleza” modificou bastante ao longo dessa minha viagem de existir.
          Obviamente, sinto-me assim por estar saudável, por sentir-me segura de quem sou e também porque ainda não cheguei ao ponto de me preocupar excessivamente com o invariável advento da morte.
          Esse texto é só uma celebração comigo mesma por estar me sentindo bem e gostaria de compartilhar com todo mundo essa paz de agora, pois sabe-se lá como vou estar me sentindo amanhã...

33 comentários:

Lara Amaral disse...

Nada melhor do que quem sabe também compartilhar os prazeres. Os poetas têm uma tendência melancólica, falo por mim; e poder ler coisas assim me deixam feliz, principalmente vindo de quem gosto.

Beijo, moça querida!

Mirze Souza disse...

Ross, linda amiga!

Já passei por isto e asseguro que aos 40 é a melhor fase da vida. O tempo ainda é longo pela frente, mas tendo saúde, essa paz que você tão bem compartilhou, é maravilhosa.

Acho que o mesmo não acontece com os homens, que aos quarenta, invertem o tempo.

RS RS RS....

Beijos

Mirze

Fouad Talal disse...

Chô fazer as contas aqui pra ver quanto tempo falta...rs

Fico feliz por você Ross! De verdade!

Mas se você escrever um livro de auto-ajuda eu fico de mal...rs

Beijo menina!

T@CITO/XANADU disse...

A alma se veste de palavras para não ser invisível e ser amante e amada !

Tácito

Eraldo Paulino disse...

Aqui, suas palavras têm recheio de alma lavada ou prestes a lavar...

Entusiasmo que cativa-nos!

Bjs!

Wania disse...

Rossana

Que seja paz, que seja felicidade, que seja maturidade, que seja saúde, que seja liberdade, que seja tudo isso ou seja o que for...
Brindemos o AGORA!!!!!


TIM -TIM, minha amiga!


Bj grande

meus instantes e momentos disse...

e que vc nunca mais deixe de achar da vida, o que a vida é.
Um imenso parque de diversões, com todos os defeitos que todo parque tem....
Gostei do teu blog.
Maurizio

Fred Matos disse...

"Esse texto é só uma celebração comigo mesma por estar me sentindo bem e gostaria de compartilhar com todo mundo essa paz de agora, pois sabe-se lá como vou estar me sentindo amanhã..."

Eu espero que você continue com este espírito de quem ,"A despeito das tragédias humanas, que não sou insensível e das minhas próprias tragédias, começo a gostar verdadeiramente de estar viva."

Deixa-me contente encontrá-la assim.

Beijos

contagotas disse...

Rossana
Disse no seu texto tudo o que há muito eu gostaria de ter escrito. Me identifico e partilho os seus sentires na certeza de que muitos amanhãs virão em que a tranquilidade não será tanta.
Graças a Deus, porque um sobressalto de vez em quando até faz bem... rsrs...

Bjos GRANDES!!!

Batom e poesias disse...

Larinha, sou assim também e por isso quis postar uma coisa positiva par variar...rss

Bom ser gostada por você.
bjcas

Batom e poesias disse...

Querida Mirse,
Estou gostando também. Quanto aos meninos, sei lá...
:)

bjs

Batom e poesias disse...

Fouad
Me conta o resultado? Curiosa...

Ah! Já escrevi um livro de "Auto ajuda", mas era na verdade uma crítica totalmente cínica e debochada. A Editora desistiu de publicar,claro!

Azar dela e sorte sua!
:)
beijos

Batom e poesias disse...

Tácito
Usamos a palavra como roupas, então. Espero estar na moda.
:)

Que bom que apareceu.
bjs

Batom e poesias disse...

Eraldo,
Alma lavada é uma delícia, mas não sei se é o caso.

Ainda te mando beijos de batom.

Batom e poesias disse...

Wânia!

TIM-TIM !!!

Beijos no coração, amiga.

Batom e poesias disse...

Oi Maurizio,
que o Universo torne seus escritos minha realidade.

Grata por vir e comentar.
bjs

Batom e poesias disse...

Fred, jamais esquecerei que você foi meu primeiro seguidor desconhecido. Os dois primeiros eram amigos reais... rss.
Muito do que está por aqui devo a você, meu amigo.
É uma felicidade para mim cada vez que vem.

bjs

Batom e poesias disse...

Contagotas
que os sobressaltos sejam apenas de surpresas e jamis de decepções.
Contente que se identifique.
É por isso que escrevemos.
bjs

tonhOliveira disse...



Como diz a Bibi Ferreira...

"A juventude é transitória,
já a velhice é permanente".


Parabéns ROSSana!

Só falta aprender a gostar do frio! Ahahahah!

Um beijo 'quente' no teu ♥!

Solange Maia disse...

ah... a plenitude... uma conquista para poucos...

texto lindo, me fez sorrir... e te admirar ainda mais !!!!

beijão carinhoso

Geraldo de Barros disse...

querida Rossana, que texto mais lindo. vc fala de algo tão particular seu, de suas experiências, de seu olhar sobre o mundo e sobre si mesma. um olhar que revela sentimentos gerais, sentimentos humanos tão difíceis de serem lidados, de serem percebidos. e vc com delicadeza e a essencia de sempre deixa aqui não só palavras, mas um testemunho de quem segura a vida com os olhos, com as mãos, com a alma. pelo seu olhar se vê o mundo de forma tão única, tão especial. não imagina como este seu texto faz sentido para mim. obrigado.
agora deixa eu pegar o rodo aqui pra enxugar a bagunça hehe

um beijo bem carinhoso
G

ps tenho procurado, procurado, mas ainda não descobri sua voz musical, uma hora descobro; por enquanto vou me derramando com voz da sua escrita ;)

Batom e poesias disse...

Tonh☺, acho que nem a velhice é permanente. Termina quando se morre, ué...

Preciso aprender a gostar do frio.
aprenderndo com o inevitável, sempre.
beij♥s

Batom e poesias disse...

Solange,
Vindo de você, esse comentário, eu fico muitíssimo feliz.
Você é uma das melhores em texto dessa blogosfera.
Sou fã!
bjs

Batom e poesias disse...


Você já está querendo muito...
Já coloquei o rodinho agora quer me ouvir cantando?
:)
Vá lá... Qualquer hora eu coloco alguma coisa.
Sou grata pelo lindo comentário.
Antes de sair, deixe tudo limpinho!

Te gosto.
bj

Rodrigo Braga disse...

A felicidade é um cantinho que nem sempre é escondido. Não é um estado permanente, até porque não nos daria prazer se fosse. Mais o melhor da vida é passar sempre por esses cantinhoe e visitar esses estados. Externar isso é maravilhoso! Linda e intensa é sua escrita. Pelo menos para mim é supre prazeroso passar por aqui.

Bjs!!!

Wania disse...

Rossana

Que liiiiiindo ficou este visual novo, parabéns!
Amei demais!

Batom e poesias disse...

É Rodrigo...
Até felicidade, se for demais enjoa.
Fico feliz quando passa por aqui.
beijão

Batom e poesias disse...

Wania
Eu misturo um pouco os estilos, mas é assim mesmo que eu sou... rs
:)

Mas, ficou mais organizadinho, né?
beijos, querida.

Ribeiro Pedreira disse...

Inspirou-me. Veja no meu blog!
Bjs.

Batom e poesias disse...

Vou lá ribeiro.
bjs

Flavio Ferrari disse...

Ah... bela poeta do Jordão
essa postagem
falou-me ao coração

(queria ter visto isso de perto)

mirian disse...

Então está compartilhado...mas acho q amanhã e depois e depois e depois, vc estará cada vez se sentindo melhor e melhor...
adorei o texto..mil beijos

Mírian Mondon disse...

Olá Rossana, uma delicia esse seu blog, estou em busca dos amigos virtuais que perdi quando mudei o endereço do meu blog, e pelo caminho encontrando novos.
Amei seu texto cheio de verdade, revelando um espirito maduro e de bem com a vida. Sinto-me assim também, grata pelo crescimento, pela serenidade que só os anos trazem =) e voce expressa tudo isso, lindamente!
Parabens