domingo, 4 de julho de 2010

Busca



Ando a procura do poema derradeiro
Pretensão que ainda cogito
e espreito
Que nem carece ser perfeito
Mas que nenhum poeta
tenha escrito.
Ai de mim tão arrogante!
Apenas um vate previsível
Que tudo o que escrevo
já foi dito
Mas inda afronto
o insensato sonho
Eu admito
Mas que poema é esse
que persigo tanto
a despeito dessa cava no meu canto
Que dilacere-se de amor
Que arrebate e denuncie
Incrimine contundente
iniqüidades
Onde se esconde
o meu poema almejado?
Decerto nas penas de algum
melhor poeta
Com canetas mais alumiadas
Bardos mais apaixonados
cujas musas sejam imortais
Talvez
seja a musa que me falte
Ou quiçá
injustiças e tragédias
tenham tornado-se em mim
motes prosaicos
e triviais.

32 comentários:

Ribeiro Pedreira disse...

No mar da tua memória
navegando numa garrafa
sem qualquer vela ou leme
longe vem o teu poema
que aportará no cais
ao fim da tua história

Esquece a tua pressa
pois ele tem demora.

Mirze Souza disse...

Ross!

Essa busca não tem fim. O que acho ótimo, pois não lerei seu derradeiro poema!

A pena de uma das melhores poetisas está em suas mãos.

E você acaba de escrever um mais que perfeito poema!

De arrebatar corações.

Lindo! Lindo!

Beijos

Mirze

A. Reiffer disse...

Apreciei teu blog e teus poemas. Parabéns!

Lara Amaral disse...

Adoro estar nesta busca contigo. Continue daí, pois também remo daqui para te acompanhar.

Beijooo.

Marcantonio disse...

Coincidência: ainda hoje estava escrevendo sobre a pretensão de dizer o que nunca foi dito antes.
Eu acho que, na verdade,como ato de criar, só existe um poema, aquele que está sendo escrito, e é o derradeiro, salvo prova em contrário (jamais agendada). Rs.
O seu poema é muito bom. As agruras, a ansiedade, a ironia e o alcance e as razões do ato de escrever.

Beijo.

tonhOliveira disse...



M onitorar a
A nsiedade do
P oeta e de sua
A rte é achar o X neste mapa!

Be:)os!

ryan disse...

se você achou o seu poema derradeiro eu não sei, mas esse aqui é muito bom.
com musa ou sem musa, escreves poemas que valem a pena.
os ultimos versos desse são lindos.
lindos.


Bj!

Assis Freitas disse...

que a musa cante este canto essencial,

beijo

Batom e poesias disse...

Recado compreendido, Pedreira.
Lindo!
Obrigada.
bjs

Rossana

Batom e poesias disse...

Mirse, assim você me mima...
Vou ficar insuportável...rss
Te amo.

bjs

Batom e poesias disse...

Reiffer, feliz por ter vindo e grata pelo comentário.
bj

Batom e poesias disse...

Larinha, é muito bom não estar sozinha. São perigosos os caminhos.

Te adoro, parceira.
bjs

Batom e poesias disse...

Marcantonio, as agruras dessa busca é meu mote predileto.
Que bom que partilha.

bjs

Fouad Talal disse...

Aluga-se musos inspiradores.

preço: um sorriso no canto da boca de batom e poesias.

;)
Bjos

Batom e poesias disse...

Tonh0
O X da questão é que não tem X no mapa...
Busca insana.
bjs

Batom e poesias disse...

Ryan
Fico contente que goste.
De verdade!
bjs

Batom e poesias disse...

Musa anda muda, Assis.
bjs

Batom e poesias disse...

Fouad, eu topo.

:D

beijca.

Flávio Morgado disse...

A procura da poesia é interminável, e complexa. Drummond dizia: não deves adular o poema, não deves antecipá-lo...
Belo poema, Rossana!

F.M.

Rodrigo Braga disse...

E é essa busca que te faz poeta.

Batom e poesias disse...

Flávio e Rodrigo
Que presente me deram:

"Penetra surdamente no reino das palavras.
Lá estão os poemas que esperam ser escritos.
Estão paralisados, mas não há desespero,
há calma e frescura na superfície intata.
Ei-los sós e mudos, em estado de dicionário.
Convive com teus poemas, antes de escrevê-los.
Tem paciência se obscuros. Calma, se te provocam.
Espera que cada um se realize e consume
com seu poder de palavra
e seu poder de silêncio".

Imensamente grata.
bjs

Batom e poesias disse...

Saber que Drummond também procurava poema me fez menos só.

Beijos meninos!

A.S. disse...

Querida... o poema está por vezes tão próximo que nem reparamos nele!


Beijosss
AL

Batom e poesias disse...

Estão só em "estado de dicionário", como já escreveu Drummond, Albino.

Grata por vir.
bj

Rafael Perfeito disse...

Quando tragédias e iniquidades tornam-se triviais, você começa a perceber a beleza e originalidade das coisas mais banais. Sem musas, sem grandes eventos, sem grandes narrativas para dar enredo ao dicionário parado.
Há beleza no papel esvaziado!

Amiga do Cafa ( Celamar ) disse...

...e quando imaginos tê-lo encontrado, o perdemos novamente.

Beijos

Geraldo de Barros disse...

a busca é sempre importante, tanto interna como externa, saber sempre nossos limites é necessários para que possamos superá-los aos poucos sem que nos percamos de nós mesmos, a poesia será sempre esse movimento na busca de expressão, cada vez mais ampla, cada vez mais funda. o melhor de você está em você e em tudo aquilo que você ama e te cerca, essa é sua poesia que só tente a aumentar na medida que essa capacidade de amar se expandi ;)

Beijos e beijos
G

Geraldo de Barros disse...

"poesia é insatisfação, um anseio de auto-superação. Um poeta satisfeito não satisfaz" Mario Quintana

;)

beijos

Batom e poesias disse...

Rafael, seu comentário foi mais que perfeito.
Adorei.
bjs

Batom e poesias disse...

Brincam de esconde-esconde conosco, Cel.
saudades
bj

Batom e poesias disse...

Ge
Lindas as suas palavras e sublimes os versos de Quintana.
É um alento para tanta insatisfação.

beijos e beijos

mirian disse...

arrasou...
bjsss